Bahia

Estelionatário é preso pela oitava vez por clonar cartão no Centro Histórico

Suspeito contou que faturava até R$ 15 mil em saques por semana e está foragido de SP

Gil Santos (gil.santos@redebahia.com.br)
- Atualizada em
O estelionatário Francisco Diego Marques Pereira, 28 anos, foi preso enquanto instalava equipamentos para clonar cartões de crédito em uma agência bancária do Centro Histórico, no sábado (25). Essa foi a oitava vez que ele foi preso pelo mesmo motivo.

De acordo com a titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), delegada Francineide Moura, Francisco é foragido do estado de São Paulo e foi preso por investigadores da unidade após uma denúncia. "Uma pessoa que passava pelo local estranhou a movimentação dele na agência, às 6h30, e avisou a polícia", disse.
Quando os investigadores chegaram, o suspeito já havia instalado os equipamentos conhecidos como mosquitinhos e chupa-cabras em três caixas eletrônicos. Ele foi conduzido para a delegacia, ouvido e encaminhado para o Complexo Penitenciário da Mata Escura. "Ele estava rindo durante o depoimento. Ele acredita que vai sair impune", contou a delegada.

CRIMES

Francisco disse à polícia que os equipamentos instalados nos caixa eletrônicos registravam os dados, incluindo a senha, dos clientes. Através dessas informações, ele fazia a clonagem dos cartões e realizava saques nas contas bancárias. O suspeito contou ainda que conseguia faturar até R$ 15 mil em saques a cada fim de semana.
Ele chegou em Salvador na sexta-feira (24) e nas últimas cinco semanas estava vindo passar o fim de semana na capital baiana.

O suspeito ficava hospedado em hotéis de luxo na Barra ou no Corredor da Vitória, instalava os equipamentos nos terminais durante a manhã e retirava no final da tarde.
Ainda segundo a delegada, cada equipamento custava R$ 20 mil. O suspeito comprava os plásticos virgens e trazia o material para Salvador para ser usado na clonagem dos cartões. Ele disse à delegada que agia sozinho, mas a polícia desconfia que outras pessoas estejam ajudando o estelionatário. 

"Ele disse que estava sozinho em Salvador, mas logo após ele ser preso um advogado apareceu na delegacia para defendê-lo. Além disso, ele estava com muita roupa nas malas, o que indica que ele pode estar há mais tempo na cidade do que o informado", contou Francineide. Ainda segundo a delegada, outros dois advogados já estiveram na delegacia para defender o suspeito. 

FUGA

Francisco estava cumprindo pena em regime semiaberto numa unidade prisional no município de Franco da Rocha, em São Paulo, também por crime de estelionato. Em maio deste ano ele deixou o presídio e não retornou e passou a ser considerado foragido. 

Para a delegada, o suspeito disse que escolheu a cidade de Salvador porque já conhecia e optou por instalar os equipamentos na agência bancária do Centro Histórico por conta do movimento intenso de turistas. No momento da prisão ele estava com seis cartões de créditos clonados.
Correio24horas