Bahia

Explosão em mina de Sento Sé deixa um morto e um ferido

É o primeiro acidente com morte desde que exploração ilegal de ametista começou, há 4 meses

Mário Bittencourt, do Correio 24h

Um homem morreu e outro ficou gravemente ferido, após explosão num buraco de uma mina ilegal de ametistas na zona rural de Sento Sé, na região do Vale do São Francisco. Conhecida como “Serra Pelada da Bahia”, a mina, a 50 km da cidade, vem sendo explorada por populares há cerca de quatro meses de forma rudimentar, desde que foi descoberta por acaso, durante uma caça de tatu.

Foto: Arisson Marinho/CORREIO
De acordo com a Polícia Civil da cidade, a explosão ocorreu entre as 21h30 e 22h deste domingo (20). Foi o primeiro acidente fatal que houve na mina, localizada no povoado de Quixaba. Ivanilson Bezerra da Silva, 22 anos, morreu no local, e João Martins Cordeiro Filho, 35, foi internado com gravidade, nesta segunda, no Hospital de Traumas de Petrolina (PE).

O setor de serviço social do Hospital Municipal de Sento Sé, onde foi dado o primeiro atendimento a João Martins, informou que a situação dele é bastante delicada.

Peritos do Departamento de Polícia Técnica da Bahia foram para o local do acidente, na tarde desta segunda, para investigar as causas da explosão, que não se sabe se ocorreu pelo uso de dinamites ou bomba caseira.

Cerca de 8 mil pessoas estão no local em busca da pedra violeta de quartzo cujo quilo é comercializado por garimpeiros na região por entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil, e que atravessadores vendem por até R$ 10 mil o quilo.

Família no local
Irmão de Ivanilson, Vando Bezerra da Silva, 28, disse que ficou sabendo, por outros garimpeiros, que foram jogadas duas bombas caseiras dentro de um buraco e apenas uma havia explodido.

“Eles acharam que a outra não tinha funcionado e quando estavam descendo, ela explodiu”, disse ao CORREIO. Ainda segundo Ivanilson, o irmão foi para a mina no início da exploração.

Nesta segunda, o corpo de Ivanilson ainda estava no Hospital Municipal de Sento Sé, aguardando ser removido para o Instituo Médico Legal (IML) e posterior liberação para a família.