Bahia

Jovem diz ter desmaiado com agressão de namorado após festa na Bahia

Ela teria sido espancada logo na saída da festa e ao chegar em casa

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Uma jovem de 20 anos denunciou uma agressão feita pelo namorado dela após eles saírem de uma festa na madrugada do último sábado (26), na cidade de Camacan, no sul da Bahia. Kallyne Pereira Ribeiro disse ter recebido murros, tapas e chutes. As informações são do G1 Bahia.

A vítima contou ao G1 que chegou até a desmaiar com as agressões. “Eu vou ter que fazer uma tomografia, um raio X na costela, do lado esquerdo. Eu tive várias pancadas na cabeça, e tive que voltar no hospital porque eu estava tendo desmaios e reflexos, e a minha cabeça está muito machucada, o pescoço, e está doendo muito. Agora eu vou ter que fazer um raio X e vou passar pelo neurologista", relatou.

Kallyne e o suspeito estão juntos há cerca de um ano e tiveram alguns términos, mas reataram há um mês. Ela foi a uma festa com as amigas e encontrou o namorado lá, ficando com outra menina. Ele tentou conversar e ela recusou. No fim da festa, ele novamente procurou ela e, após receber a recusa, as agressões começaram. 

“Quando eu estava indo para o carro, para ir embora, ele me puxou e uma amiga minha foi atrás. Ele estava dizendo várias ofensas e me puxando pelo braço, querendo continuar conversando, e eu tentando sair, e ele me deu dois puxões de cabelo. Foi o momento em que eu me desesperei, comecei a chorar, e os amigos dele me colocaram dentro do carro e me levaram pra casa", contou Kallyne ao G1.

Os dois moram na mesma rua. O suspeito ligou quando Kallyne chegou em casa e pediu novamente para conversar, e foi até la. A vítima conta que ele disse que ela estaria traindo ele e, a partir daí, ocorreram novas agressões. "Eu tentei chamar por ajuda, só que ninguém me ouvia. E aí, mais ou menos depois de uns 30 minutos, eu consegui entrar no banheiro e mandar uma mensagem para minhas amigas, pedindo pra alguém chamar a polícia. Meu pai conseguiu chegar lá em casa e tirar ele. Logo depois, meu pai me levou pra delegacia, e depois disso eu não o vi mais", relatou.

A vítima já fez exame de corpo de delito. Já o suspeito não foi localizado dentro das 24h de flagrante, e será ouvido e interrogado sobre o caso.