Bahia

Live de Anderson Talisca é interrompida pela PM na Bahia

Jogador fazia live com sua banda e banda negou ter acabado transmissão por causa da polícia

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O jogador Anderson Talisca, que atua no Guangzhou Evergrande, da China, teve que interromper a live que fazia no último domingo (17), na cidade de Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador. Talisca se apresentava com sua banda, a Swing do T10. As informações são do jornal CORREIO.

A cidade adotou o toque de recolher entre às 20h e 5h. Com isso, Talisca teria sido advertido pela Polícia Militar. De acordo com a corporação, não houve prisão com o ocorrido.

A prefeitura de Lauro de Freitas se manifestou através de nota e disse que "Anderson Talisca foi notificado por realizar atividade de emissão sonora, na noite deste último domingo (17). O ato ocorreu durante a Operação de Segurança que fiscaliza o cumprimento das medidas de controle de circulação noturna, das 20h às 5h do dia seguinte, estabelecida pelo decreto n° 4.623. Equipes da Prefeitura e da Polícia Militar chegaram ao Condomínio Parque Encontro das Águas, localizado na Estrada do Coco, por volta das 21h, após receber uma denúncia encaminhada pelo Centro Integrado de Mobilidade Urbana (CIMU)".

O jogador, no entanto, disse que a live acabaria por causa de um familiar de um músico, que estava com problema de saúde. "Aconteceu uma situação muito chata. Um familiar de um dos nossos músicos... Acabou acontecendo uma situação muito chata. Em respeito a esse músico, a gente vai encerrar a live aqui (...) Um músico nosso que a gente tem com muito carinho. Não vou falar o nome para não ficar chato, mas a gente vai respeitar isso. Estamos encerrando a live nesse momento", disse o vocalista.

Nesta segunda-feira (18), a banda usou as redes sociais para negar que a transmissão foi encerrada pela polícia. "A AT Music Produções esclarece que, diferentemente do que está sendo publicado na grande mídia, a live do Swing do T10, realizada neste domingo (17), num condomínio fechado em Lauro de Freitas/BA, não chegou ao fim por causa de autuação policial ou da Prefeitura de Lauro de Freitas, mas, sim, devido a uma situação emergencial de saúde, envolvendo um parente de um músico. Coincidentemente, neste mesmo momento, os fiscais da Prefeitura de Lauro de Freitas, acompanhados de Policiais Militares, fizeram uma abordagem de cunho educacional para solicitar explicações a respeito da atividade", diz a nota.