Bahia

Mais dois acusados do assassinato de tesoureiro do PT se entregam à polícia

Eles confessaram participação na execução e serão encaminhados para o presídio de Feira de Santana

Redação CORREIO (redacao@correio24horas.com.br)
- Atualizada em

Mais dois homens se entregaram à polícia nesta segunda-feira (22) pela participação no assassinato do tesoureiro do PT, em São Gonçalo dos Campos, Região Metropolitana de Feira de Santana.


Anderson dos Santos Ribeiro, conhecido como Lee, se apresentou na manhã no Fórum de São Gonçalo. Reinaldo de Oliveira Souza, apelidado de Dida, foi à Coordenadoria de Polícia de Feira de Santana, na companhia de seu advogado.


Os dois foram encaminhados para a Delegacia de Polícia de São Gonçalo dos Campos, onde prestaram esclarecimentos sobre o caso. Segundo informações de policiais, eles confessaram a participação no crime e afirmaram que cada um teria atirado apenas uma vez no tesoureiro.


Eles serão encaminhados para o presídio de Feira de Santana, onde ficam à disposição da justiça.


Acusados
Além de Dida e Lee, outros três homens já estão presos por participação no crime. Márcio Lopes Dantas, 31 anos, também apontado como envolvido na morte do tesoureiro do PT, no final de julho. Márcio se entregou neste sábado no Complexo Policial Investigador Pedro Bandeira, em Feira de Santana.


Ele chegou ao Complexo Policial acompanhado por advogados e familiares. Márcio, Anderson e Reinaldo haviam conseguido fugir da polícia depois de uma troca de tiros na zona rural de São Gonçalo dos Campos na madrugada de quinta. Na ocasião, dois suspeitos foram presos - o tratorista André Luis da Conceição Santos e o chefe da guarda municipal de São Gonçalo, Jorge Ney Araújo.


De acordo com a polícia, André Luis foi o responsável pelos tiros que mataram o tesoureiro Márcio Machado. Já Jorge Ney é acusado de ter guardado uma arma usada no crime - um revólver calibre 38. Ele foi autuado por posse ilegal de arma.


Márcio Dantas resolveu se entregar depois que sua foto foi divulgada pela imprensa, ao lado de Dida e Lee, que se entregaram nesta segunda.

Anderson, Reinaldo e Márcio tiveram fotos divulgadas: os três se entregaram




Latrocínio
Márcio Machado e sua esposa, Elisângela Cardoso, foram sequestrados de casa na noite do dia 30 de julho por um grupo de quatro bandidos, que levaram o casal dentro do próprio carro da família. Segundo o preso André Luís, o bando pretendia somente roubar Machado, mas quando este reagiu e conseguiu tirar os capuzes do rosto de dois comparsas eles decidiram matá-lo.


Machado e a mulher foram levados em direção à Ilha de São Gonçalo. No caminho, em uma estrada de terra, o tesoureiro foi executado. Elisângela foi liberada em seguida pelos bandidos, depois de ter sido sexualmente abusada.