Bahia

Menina de 9 anos fica sem andar após banho na Chapada Diamantina

Criança visitou o Poção em janeiro deste ano e, quatro meses depois, apresentou os sintomas da esquistossomose

Amanda Palma do Correio 24 horas (amanda.palma@redebahia.com.br)

O fim de semana de férias em Lençóis, na Chapada Diamantina, era para distrair a família do comerciante Agnaldo Matos de Lima, 46 anos, mas quatro meses depois, a recordação era da esquistossomose adquirida em um dos locais visitados pela família. A filha do comerciante Clara Pessoa de Lima, 9 anos, está sem andar depois de ser contaminada pelo shistosoma mansoni. Três pontos turísticos foram interditados na Chapada Diamantina após os casos da doença.

Eles estiveram no Poção, no dia 7 de janeiro, e em abril Clara começou a apresentar os sintomas. “No dia 16 de abril, ela teve sintomas na perna. No dia 17, começou a mancar e, no dia 18, não andava”, contou o pai.

Moradores de Itaberaba, na região da Chapada, eles foram até Feira de Santana para hospitalizar a filha e tentar descobrir o que ela tinha. Foram mais de 20 dias para conseguir um diagnóstico preciso, de mielite transversa esquistossomática. “Na verdade, quando foi fazer uma bateria de exames, estavam ativos como dengue e chikungunya. Aí depois, com a ressonância, foi que deu mielite”, disse o comerciante.

Exames de sangue apontaram que dois irmãos de Clara também foram contaminados pelo shistosoma, mas não manifestaram a doença. Eles foram medicados com praziquantel, um remédio em dose única usado para tratar a doença. Os pais da criança também foram examinados, mas ainda aguardam os resultados para saber se tiveram contato com a larva.

Clara está fazendo tratamento com corticoides e acompanhamento com fisioterapeuta.