Bahia

MP já alertava para riscos da travessia

Órgão propôs duas ações civis públicas sobre a questão; ainda não houve decisão judicial

Luan Santos, do Correio 24h

O Ministério Público estadual (MP) informou que já alertava, há mais de dez anos, sobre a precariedade do serviço de transporte hidroviário realizado pelas embarcações que fazem a travessia Salvador/Mar Grande. O órgão propôs, inclusive, duas ações civis públicas sobre a questão.

Na primeira ação, o MP alertou sobre inúmeras irregularidades no transporte de passageiros pelas embarcações, que colocavam em risco, diariamente, a segurança de centenas de pessoas.

Em 2014, em uma nova ação civil pública, a promotora de Justiça Joseane Suzart solicitou a reforma dos terminais e das embarcações, a renovação dos coletes salva-vidas e outras medidas que assegurassem a saúde e segurança dos usuários. As ações propostas pelo Ministério Público ainda aguardam decisão judicial, informou a nota.

O MP ainda manifestou solidariedade com os familiares das vítimas da embarcação Cavalo Marinho I, que naufragou deixando pelo menos 18 mortos na Baía de Todos-os-Santos.