Bahia

Na Bahia, Governo do Estado gerou mais de 90 mil empregos em seis anos

Em março deste ano, estado liderou a abertura de novos empregos com carteira assinada no Nordeste

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Apesar das dificuldades econômicas impostas pela pandemia do novo coronavírus, a Bahia segue gerando novos empregos. Em março deste ano, o estado liderou a abertura de novos postos de trabalho com carteira assinada na região Nordeste. Foram 9.820 novos empregos, vindos da diferença entre os números de admissão, 57.868, e de desligamentos, 48.048. Esses dados são das Estatísticas Mensais do Emprego Formal, o Novo Caged, divulgados pelo Ministério da Economia em abril deste ano. 

Esses novos empregos estão distribuídos entre Região Metropolitana de Salvador (RMS) e interior. na RMS foram criados 2.488 postos de trabalho em março deste ano, e no interior foram geradas 7.332 posições celetistas. Quanto ao saldo de emprego acumulado no ano de 2021, enfatiza-se a abertura de postos de trabalho com carteira assinada na RMS (+14.068 postos) e no interior (+28.650 postos).

Apenas os setores de Alojamento e alimentação e Comércio tiveram saldo negativo em posições celitistas. Além disso, desde julho de 2020, a Bahia vem apresentando saldo positivo na geração de trabalho com carteira assinada.

Indústria

Um dos destaques na geração de emprego é o setor de Indústrias. O setor industrial baiano apresentou salto positivo nos três primeiros meses de 2021 ao gerar mais de 16,4 mil novos postos de trabalho.

Em março, o segmento gerou aproximadamente 4,2 mil empregos, que foram puxados pelos setores de Coque e produtos derivados do petróleo e de Bicombustíveis, além dos produtos de metal. Os dados são do Informe Executivo da Indústria de maio, divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) no final do mesmo mês.


Esse saldo positivo já via sendo apresentado nos últimos 12 meses, quando o setor gerou mais de 18 mil empregos, mesmo diante da crise causada pela Covid-19.

Mais de 90 mil empregos em seis anos

Desde 2015, mais de 90 mil empregos foram gerados na Bahia, além de 208 mil intermediados pelo Governo do Estado. Os números são resultado de contratações diretas e indiretas, concursos, programas de estágio e de primeiro emprego.

Além disso, uns dos pontos que explicam esse saldo positivo são os incentivos fiscais do Estado, considerados atrativos. Atualmente, os programas Desenvolve, ProBahia, Crédito Presumido, Proalcool e Proid estão disponíveis para quem tem interesse em investir na Bahia.

Mesmo diante de um cenário de pandemia e problemas econômicos, o Governo do Estado tem reforçado as oportunidades de emprego e renda, com alguns programas. O Primeiro Emprego, voltado aos egressos e estudantes da Educação Profissional, já beneficiou 10.722 pessoas até o mês de abril deste ano, com estágio, aprendizagem e emprego formal.

Outro destaque é o Partiu Estágio. Em 2021, o programa já ofereceu 2.973 vagas. O SineBahia também tem gerado números positivos para os trabalhadores. Desenvolvido pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com o governo federal, o objetivo do programa é promover a inserção do maior número possível de trabalhadores no mercado de trabalho. De janeiro a abril de 2021, o serviço intermediou 5.785 pessoas. Desde 2015, são 207.752 contratações intermediadas pelo SineBahia.