Bahia

Portal iBahia divulgará fotos e informações de desaparecidos

Campanha é fruto de uma parceria entre o iBahia, a Delegacia de Proteção à Pessoa e a Nova Lapa

Isadora Sodré (isadora.sodre@redebahia.com.br)
- Atualizada em

A cada ano, mais de 250 mil pessoas desaparecem no Brasil. Imagine como deve ser encarar o sofrimento de não encontrar um ente querido que, na maioria dos casos, são idosos, adolescentes ou deficientes mentais? Com o objetivo de reduzir este número, o iBahia firmou uma parceria com a Delegação de Proteção à Pessoa (DPP) e a Nova Lapa e, desde a última terça (10), fotos de pessoas desaparecidas estão sendo divulgadas pelo portal.

Ao clicar nas imagens, o leitor do site será direcionado à página institucional da DPP no Facebook, onde é possível encontrar mais informações sobre aquele desaparecido e de como ajudar a encontrá-los. As mesmas imagens também serão veiculadas em três videowall  e 18 monitores instalados na estação Nova Lapa, o que amplia a visibilidade da ação e da probabilidade das pessoas serem encontradas, já que o espaço recebe mais de 430 mil passageiros todos os dias.

De acordo com o gerente executivo das rádios e do portal iBahia, Luiz Moreira, a iniciativa amplifica o retorno positivo do quadro “Desaparecidos”, veiculado na TV Bahia e demonstra a preocupação da empresa por ações sociais de impacto. “Sempre procuramos deixar um legado positivo para a sociedade e consideramos que um projeto voltado para a busca de pessoas desaparecidas traduza isso. A visibilidade e audiência do portal e a veiculação de imagens na Nova Lapa irão ajudar aqueles que estão à procura de entes queridos e o trabalho já realizado na DPP”, disse.

Trabalho da delegacia
De acordo com a delegada Titular da DPP, Heloísa Simões, a delegacia de proteção à pessoa foi criada em 2012 para realizar um trabalho de investigação destinado a localização de pessoas desaparecidas. “Nós trabalhamos apenas com ocorrências não delituosas. Se no decorrer das investigações verificar, que existem indícios de uma situação delituosa, o procedimento é relatado e encaminhado para a delegacia especializada de área de homicídios e a delegacia territorial para conhecimento e investigação”,  explicou.

Ainda segundo Heloísa, as ocorrências registradas na unidade envolvem idosos, pessoas portadoras de doença mental e adolescentes. As ocorrências com adolescentes são mais complexas, pois em diversos casos o desaparecimento é voluntário. Proibições, pressão da família e rebeldia são alguns dos principais motivos que levam o jovem a sair sem avisar e até mesmo a fugir de casa. “É um trabalho realizado pela Polícia Civil, na busca incessante de pessoas desaparecidas, localizando-as e devolvendo-as à sua família".

A delegada ainda detalhou o trabalho que é realizado pela polícia.  Não existe mais o prazo de 24h para registrar a ocorrência, entretanto, orienta aos familiares a fazer buscas pessoais antes de procurar a polícia. Uma vez na DPP, é feito um RPD (registro de pessoa desaparecida) com autorização formal de divulgação de imagem nas mídias sociais e ordem de missão para o serviço de investigação da unidade para realizar diligência.


Quer ajudar?
Tem alguma pista das pessoas das fotos que foram divulgadas aqui no portal? Procure os meios de comunicação de Delegacia de Proteção à Pessoa e repasse esta informação!

Disque-denúncia: 3235-0000
Facebook: Delegacia de Proteção à Pessoa
Whatsapp: 9 9631-6538