Bahia

Salão imobiliário terá 3 mil imóveis com descontos de até R$ 90 mil

Entre vantagens, estão documentação gratuita e entrada a partir de R$ 39

Júlia Vigné e Perla Ribeiro, do Correio 24h

O sonho de ter a casa própria pode estar mais próximo para baianos. Mais de 3 mil imóveis serão vendidos durante a 10ª edição do Salão Imobiliário da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA), que acontecerá a partir dessa quarta-feira (25) e segue até domingo (29), no estacionamento do 3º piso do Shopping da Bahia.

Dentre as vantagens oferecidas por 18 incorporadoras e construtoras, que estarão presentes no evento, estão entrada de apenas R$ 39, desconto de até R$ 90 mil no valor total e possibilidade de realizar o financiamento do imóvel direto com a construtora.

O imóvel mais barato será comercializado pela Tenda, que irá oferecer 1.148 unidades de 1 e 2 quartos de 40 m² cada. O empreendimento Viena, localizado em Camaçari, custa R$ 99 mil, com a possibilidade de 1 e 2 quartos de 39 m². São 195 unidades disponíveis desse tipo. Além do Viena, a Tenda oferecerá empreendimentos em Salvador, Lauro de Freitas e Camaçari, com portaria, segurança, salão de festas com churrasqueira, playground, praça de jogos e bicicletário.

Entrada de R$ 39
Como vantagem para atrair o público, a construtora oferecerá documentação do apartamento gratuita, entrada a partir de R$ 39, a possibilidade de uso do Fundo de Garantia (FGTS) para quitar parte do valor, entrega garantida e a possibilidade de subsídio do governo de até R$ 37 mil para quem for utilizar o programa Minha Casa Minha Vida. “Além disso, temos também a possibilidade de compor renda com mais uma pessoa, a partir de R$ 1.300, sendo trabalho formal ou informal”, explicou o analista de marketing da empresa, Deraldo Junior. Todos os apartamentos da Tenda estão dentro da cota de valor destinada ao Minha Casa Minha Vida.

Deraldo Junior, analista de marketing da Tenda, em unidade decorada (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

A construtora MRV, que está há cinco anos como a maior em atuação na Bahia, disponibilizará 700 imóveis, variando entre R$ 135 mil e R$ 200 mil, com descontos de até R$ 8 mil e com possibilidade de pagar parte do valor do imóvel diretamente à construtora.

A MRV ofertará apartamentos em seis empreendimentos em Lauro de Freitas e Camaçari, tanto na planta, como prontos para morar. Dentre os diferenciais da MRV estão a oferta de piso e ITIV grátis para alguns apartamentos.

“Esse é o momento mais importante do segundo semestre. Nós temos tudo para fazer um grande Salão. Esperamos mais de 1.500 clientes e pelo menos R$ 10 milhões de movimentação financeira nos cinco dias de evento”, afirmou o gestor executivo de vendas para a Bahia, Luís Felipe Monteiro.

Os destaques da construtora são os empreendimentos Solar da Costa – Costa das Baleias, em Camaçari, e Spazio Salvador Norte, localizado em Jardim das Margaridas, em Lauro de Freitas. Cerca de 260 unidades do Solar da Costa serão ofertadas, com 2 quartos, com valores a partir de R$ 135 mil e variando entre 40,28 m² a 46,47 m². O Spazio Salvador Norte tem valores a partir de R$ 175 mil, disponíveis em versões de 2 quartos ou 2 quartos com suíte e com tamanhos entre 45,18m² a 53,29m². São 25 unidades disponíveis do empreendimento (ver mais ao lado).

A construtora Prima irá oferecer imóveis em uma faixa de preço maior. Serão 73, que irão variar entre R$ 356 mil a R$ 1,450 milhão. Além do preço, a variação de metragem também é maior. As casas e apartamentos, localizados no Baixio, Litoral Norte, variam entre 238  m² e 272  m² e entre 68 m² e 124 m², respectivamente.

Dentre as vantagens oferecidas pela construtora, que estará presente em um estande de 12 m² com 21 corretores, estão a pontualidade na entrega dos empreendimentos, infraestrutura de lazer, condomínio fechado com segurança além de centro comercial dentro do condomínio. “É uma oportunidade de investir em um local ainda pouco explorado, mas com grande potencial de retorno”, diz a engenheira responsável, Fabiane Vivas.

Olhos atentos
O feirão irá ajudar a publicitária Camila Costa, 28 anos, que está há 11 meses procurando imóveis e ainda não conseguiu, encontrar o ideal. Camila conta que foram mais de 30 apartamentos visitados.

“Eu comecei em novembro do ano passado porque vou casar no mês que vem. Eu e meu noivo visitamos mais de 30 imóveis e não encontramos um que se adequasse ao que queríamos”, explicou a publicitária.

Faltando menos de um mês para o casamento, Camila ainda não conseguiu encontrar um apartamento que coubesse no bolso e que atendesse as suas demandas. “A gente achava um que estava dentro do orçamento, mas acabava tendo um tamanho menor do que a gente queria. Quando achávamos maiores, sempre tinha um defeito: não tinha garagem, era muito velho, dentre outras coisas”, lamentou. Interessada em um localizado em Brotas, Camila ainda não finalizou as buscas pelo sonho da casa própria.

O auxiliar administrativo Vagner Oliveira, 27, está há pouco tempo procurando imóveis, mas já disse ter desanimado com as dificuldades encontradas. Morando em Salvador há seis anos, a vontade de adquirir o apartamento próprio é recente. “Eu sou do interior. Vim para cá estudar. Estudei, me formei e agora trabalho aqui”, explica.

Ele busca um apartamento com parcelas entre R$ 400 e R$ 800 mensais, com valor máximo de cerca de R$ 120 mil, e conta que encontrou condições de financiamento melhores na Região Metropolitana (RMS). “Parece que os bancos oferecem mais oportunidades nas cidades metropolitanas. Eu passei a procurar em Lauro de Freitas e em Camaçari por conta desse valor”, explicou.

Espera
Outra mudança que Vagner teve que fazer foi a do tempo de espera pelo apartamento. Ele buscava apartamentos prontos, mas viu que os que ainda estão na planta têm o preço muito mais em conta. “É difícil pagar apartamento e aluguel, por isso que eu busquei os prontos. Mas vi que é melhor procurar na planta”, explicou Vagner, que adiou o sonho da casa própria para quando terminar de pagar o financiamento de um carro.

O médico José Santos, 35, busca imóveis um pouco mais caros e já construídos. Ele também já tem a definição do bairro: só quer morar na Barra ou Vila Laura, com o valor entre R$ 300 mil e R$ 350 mil. Para ele, a maior dificuldade na hora de escolher são os juros bancários e a diferença entre o preço e a expectativa do imóvel. “Muitas vezes o valor está bom, mas os juros são altos. Tentei até ver consórcio, mas não temos certeza se seremos contemplados logo com um lance”, ponderou.