Bahia

Salve o Pedrinho: juiz determina que União custeie tratamento de bebê baiano

Natural de Eunápolis, Pedrinho nasceu com síndrome do intestino curto e tratamento custa US$ 1 milhão em Miami

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Foto: reprodução / Facebook

Com apenas dois dias de vida, Pedrinho foi internado em um Centro de Tratamento Intensivo para cuidar de uma doença gravíssima, a síndrome do intestino curto. Baianos de Eunápolis, a família passa por dificuldades para conseguir fazer um transplante de intestino para o bebê. O procedimento só pode ser feito em Miami, nos Estados Unidos, e custa US$ 1 milhão - podendo chegar a mais de R$ 3 milhões.


O drama de Pedrinho fez com que a família criasse uma campanha nas redes sociais com o nome ‘Salve o Pedrinho’, para arrecadar dinheiro e custear o tratamento.  Mas a família tem um novo motivo para comemorar. Na segunda-feira (20), uma decisão judicial decidiu que a União deve pagar além do tratamento, home care, despesas da família e emissão dos passaportes com urgência, sob pena de multa diária de R$ 100 mil.


A União pode recorrer da decisão caso comprove que no Brasil há um tratamento para esta doença. Enquanto isso, a campanha de arrecadação tem ganhado apoio de muitos voluntários e já arrecadou R$ 640 mil. A família suspendeu o recebimento de doações até ter uma confirmação da União sobre o custeio do tratamento.