Bahia

Tomate, café e mais: produtos chegam a ter alta de até 30% e são vilões da cesta básica

Salvador ocupa segundo lugar entre as cestas básicas mais caras no Norte e Nordeste

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )
- Atualizada em

Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o custo médio da cesta básica aumento em 17 capitais. No Norte e Nordeste, Salvador ocupa a segunda posição, com um aumento de 3,76%, com alguns produtos chegando ter uma alta de preço de até 30%. 

Em novembro, o grande vilão é o tomate. Em relação a outubro, o fruto chegou a ter uma alta de preço de 30,93%. Em seguida, aparece o café em pó, com alta de 4,16%. Farinha de mandioca (2,63%), óleo de soja (1,71%), açúcar cristal (1,64%), leite integral (1,52%) e carne bovina de primeira (0,72%) completam a lista. 

Quase metade do salário mínimo 

Atualmente, para adquirir um pacote de cesta básica, é preciso fazer uma jornada de trabalho de 101 horas e 11 minutos, de acordo com dados da DIEESE. 

Custando hoje R$505,94, a cesta básica corresponde a quase metade do salário mínimo líquido para compra dos produtos. Isso representa 49,72% do valor recebido pelos trabalhadores ao final do mês (R$ 1.100).