Bahia

'Vi pessoas retornando para praia nadando', conta morador de Mar Grande

De acordo com o morador, o retorno dos tripulantes para costa só foi possível porque a 500 metros da ilha existe um recife de corais

Redação Correio 24h (redacao@correio24horas.com.br)

"Quando cheguei na praia, avistei algumas pessoas voltando nadando com ajuda de coletes", relata o comerciante Renato Matos, 61 anos, morador da Ilha de Mar Grande, na Ilha de Itaparica, que acompanhou a chegada das vítimas do naufrágio que deixou 22 mortos. 

De acordo com o morador, o retorno dos tripulantes para costa só foi possível porque a 500 metros da ilha existe um recife de corais que, com a maré baixa, é possível andar até próximo à areia. "Não sei dizer a quantidade exata de pessoas que conseguiram voltar. Uma multidão está no local em busca de informações", conta ele. 

Foto: Correio

A telefonista Maiara de Moares, 29 anos, que trabalha em Mar Grande, recebeu o relato de uma amiga, por meio de uma mensagem de voz, afirmando que entre as vítimas estaria uma criança e uma mãe. A amiga da telefonista é moradora da Gamboa, localidade de Vera Cruz, local para onde, supostamente, a embarcação teria sido levada pela correnteza. "Ela viu quando a equipe da Marinha chegou até praia com o corpo de uma criança e da mãe, os dois sem vida", afirma. 

O acidente

A lancha da Asssociação de Transportadores Maritímos da Bahia (Astramab) naufragou por volta das 6h30 depois de sair do terminal de Mar Grande, na Ilha de Itaparica, a caminho de Salvador. Até às 9h16, a Marinha confirmou três pessoas mortas, ainda sem identificação. Das vítimas, 21 pessoas já foram resgatadas com vida. A lancha Cavalo Marinho I tinha capacidade para transportar 162 passageiros e transportava 129 no momento em que virou.

Três navios da Base Naval de Aratu e três lanchas da Capitania dos Portos foram deslocadas para o local do naufrágio para auxiliar nas buscas. "Nós recebemos um chamado de emergência via rádio por volta das 8h e, em seguida, mandamos três embarcações de resgate imediatamente. Três navios da base com médico a bordo e todo aparato para dar socorro está a caminho. Também acionamos outros órgãos como o Graer, Samu e Bombeiros", disse o capitão-tenente da Marinha, Fernando Jeann Tôrres Araújo.

O Grupamento Aéreo (Graer) da Polícia Militar e a 5ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Ilha de Vera Cruz) está atuando em apoio às vítimas do naufrágio. Às 9h uma aeronave do Graer transportou uma das vítimas direto para o Hospital do Subúrbio, em Salvador. Em seguida o helicóptero retornou para dar apoio às demais vítimas do acidente. A 5ª CIPM também já prestou socorro a algumas vítimas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Mar Grande e ao Hospital Geral de Itaparica.