Bahia

VLT irá ligar a região do Comércio à cidade de Simões Filho; veja imagens

Ordem de serviço da obra foi assinada nesta terça-feira (10) pelo governador Rui Costa

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Na manhã desta terça-feira (10), a Estação Ferroviária da Calçada foi palco para a assinatura da ordem de serviço para a implantação do Veículo Leve de Transporte (VLT) na capital baiana. O VLT fará a ligação entre o bairro do Comércio, em Salvador, e a localidade conhecida como Ilha de São João, situada em Simões Filho, na região metropolitana. O início das obras foi autorizado pelo governador Rui Costa, que estava acompanhado de outras autoridades e representantes do consórcio Skyrail Bahia, que irá executar os serviços.

Imagem: Divulgação
Esta será a primeira fase de implantação do VLT e terá 19,2 quilômetros de extensão, com 21 estações. O meio de transporte irá beneficiar 600 mil pessoas e terá capacidade para realizar o transporte diário de 172 mil usuários. A previsão é de que todo o sistema esteja em operação no prazo de dois anos.

As obras terão custo de R$ 2 bilhões e a expectativa é de que promova avanços para a região do Subúrbio Ferroviário, com geração de empregos e oportunidades de novos negócios. A obra será executada pelas empresas Metrogreen e Build Your Dreams (BYD).
Imagem: Divulgação
“Hoje não estamos dando início apenas a um novo modal de transporte, estamos abrindo portas para o desenvolvimento e para a melhora da qualidade de vida da população do subúrbio ferroviário, da região de Itapagipe, da Liberdade e de Simões Filho. Além de oferecer uma mobilidade mais digna e confortável para estas pessoas, a expectativa com a implantação do VLT é também aumentar a empregabilidade na região, que certamente irá atrair novos empreendimentos, como hotéis, pousadas, restaurantes, entre outros”, declarou o governador.
Imagem: Divulgação
Segundo o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, a assinatura da ordem de serviço marca o início da mobilização da obra. “Com esta ordem de serviço, começaremos toda a parte de mobilização e a preparação de canteiros para o início do processo de construção. Daqui a dois anos, teremos a obra pronta. O Subúrbio Ferroviário necessita de um melhor sistema de transporte que faça essa integração com o centro, e o VLT tem qualidade de primeiro mundo, ar condicionado, conforto e velocidade. Em 40 minutos, vamos poder sair de Paripe e chegar no metrô,