bbb

Antes do 'BBB', Arthur dava aulas para arrecadar alimentos para asilos do Espírito Santo

Fãs do participante estão divulgando boas ações que o crossfiteiro fez antes de entrar no reality show

Agência O Globo

Numa tentativa de melhorar a imagem de Arthur Picoli, fãs do participante estão divulgando boas ações que o crossfiteiro fez antes de entrar no ''Big Brother Brasil 21''. O perfil oficial do participante compartilhou no Twitter, na última sexta-feira, que o capixaba costumava dar aulas para arrecadar insumos para pessoas carentes do Espírito Santo. Arthur é formado em Educação Física e atua como instrutor de crossfit.

''Outra forma de incentivar o trabalho social eram os aulões beneficentes. Mesmo depois de se mudar para Rio de Janeiro, o Arthur sempre usou do seu trabalho como um mecanismo para também fazer a diferença na vida das pessoas. Aos sábados, ele disponibilizava uma aula solidária,'', explicou o perfil.

A publicação ainda contava com fotos das aulas promovidas por Arthur. O anúncio compartilhado explica que os recursos arrecadados seriam destinados à asilos de Vila Feliz, no Espírito Santo. ''Inscrição: um litro de leite integral ou uma lata de leite em pó'', pedia a propaganda. Arthur ainda era o responsável por receber ligações dos interessados em participar, disponibilizando seu número de telefone para mais informações.

Em uma publicação da academia na qual Arthur trabalhava, um anúncio convidava alunos e não alunos para uma aula beneficente e uma palestra sobre a prevenção do câncer de mama, além de pedir doações de brinquedos: ''Vai ser o nosso famoso dia do relacionamento humano. Dia que exercemos nossa cidadania, suarmos bastante e nos alegramos com diversas pessoas."

No ''BBB21'', Arthur já chegou a falar de outras boas ações. Na última semana, o capixaba revelou a João Luiz que gastava boa parte do salário que recebia como professor de educação física de uma escola público comprando medalhas para seus alunos. A ideia era estimular a frequência de seus alunos nas aulas.

''A gente fazia chamadinha, de segunda a sexta, se ele fosse nos cinco dias, toda sexta-feira ele ganhava uma medalha. Eu, idiotão também, comprei uma porrada de medalha e gastei um dinheiro, e toda sexta-feira medalha. Quem chegasse no final do mês com as 20 presenças, ganhava um brinquedo. E aí eu ia lá também, idiotão, e comprava os brinquedos'', contou o capixaba, que chegou a pedir ao pai para ajudá-lo a comprar os prêmios para os alunos quando o dinheiro acabou.



Apesar do gasto extra, Arthur garantiu que a estratégia deu certo: ''Ninguém mais faltava, velho. Sério, foi muito irado esse negócio da medalha, o estímulo. O moleque nunca ganhou uma medalha em nada.''

Outro perfil do Twitter também elencou as qualidades do ex-jogador de futebol:

''Crossfiteiro consciente, respeita a quarentena, orgulho da Organização Mundial de Saúde, trabalha em projetos sociais, defensor das minorias, amado pelas crianças e pelos idosos, ''não é mimimi, vei, é a luta da rapaziada'' e colocou Fiuk no paredão''. Na última sexta-feira, o nome de Arthur ficou entre os assuntos mais comentados da rede social.