Brasil

Acusado de estupro, ex-BBB Felipe Prior agradece apoio em vídeo e alfineta Manu Gavassi

Felipe é acusado de ter cometido dois estupros e uma tentativa, ambas aconteceram entre os anos de 2014 e 2018

Agência O Globo
- Atualizada em

Três dias após vir à tona que está sendo acusado de ter estuprado duas jovens, o arquiteto Felipe Prior, ex-participante do "BBB 20", voltou às redes sociais e faz um vídeo para contar que está isolado em casa, em São Paulo, por conta da pandemia de coronavírus, e aproveitou para agradecer o apoio dos fãs.

Foto: Reprodução

"Estou com uma barbinha aqui, e em casa, por conta da pandemia. Obrigado pelo apoio e vambora no Instagram chegar a 7 milhões de seguidores", disse ele num vídeo publicado no Twitter na noite de segunda-feira.

Ver essa foto no Instagram

Ex-BBB Felipe Prior agradece apoio após acusação de estupro

Uma publicação compartilhada por Retratos da Vida (@retratosdavida_extra) em

Em outro post, ele aparece com um capacete em frente ao computador e sorrindo. "Trabalhe com segurança", escreveu. Também na noite de segunda-feira, Felipe usou o Instagram para comentar, em tempo real, o último "Jogo da discórdia" do "BBB 20", e aproveitou para alfinetar a participante Manu Gavassi. "Mais um choro sem lágrima", detonou ele na legenda de uma imagem da cantora.

Felipe é acusado de ter cometido dois estupros e uma tentativa, ambas aconteceram entre os anos de 2014 e 2018. Em um vídeo publicado no Instagram, Prior afirmou ser inocente.

“Estou muito chateado mesmo. Desconheço todos os fatos apresentados. Nunca cometi nenhuma violência sexual contra ninguém. Sou inocente. O que me deixa mais chateado é saber que depois que entrei na casa, apresentaram denúncias pesadas contra mim. Meus advogados estão tomando todas as providências. Quero dizer ao público que todo carinho que estão me passando está me deixando mais forte. Isso é importante pra mim".

Na descrição do vídeo em que se defende, a assessoria do ex-brother se pronunciou:

"Felipe Prior, por sua assessoria, informa que não tomou conhecimento do teor de acusações de crimes que jamais cometeu, e que jamais cometeria. Por enquanto, Felipe Prior repudia, veementemente, as levianas informações espalhadas sobre supostos fatos que teriam ocorrido há anos, mas somente agora, depois de ter adquirido visibilidade pública, são manobrados. Felipe Prior estará à disposição das autoridades para qualquer tipo de questionamento, e adotará todas as medidas necessárias contra os que investem contra a sua civilidade", escreveu a assessoria do ex-BBB pelo Instagram.

Usando pseudônimos, três mulheres deram depoimentos à revista "Marie Claire", acusando o ex-BBB de estupro e tentativa de estupro entre os anos de 2014 e 2018. Procurado pela reportagem, Felipe ainda não se pronunciou.

Em 2014, uma delas, chamada de Themis pela reportagem, conta que ela e uma amiga aceitaram uma carona de Prior ao sair de um jogo do Interfau, jogos universitários de Arquitetura. Após deixar a outra menina em casa, o ex-BBB teria parado o carro na rua e a estuprado. Segundo o relato, ela chegou a ir ao hospital após o ato e um ano após o ocorrido passou a ter crises de pânico, precisando de apoio para ir e voltar do trabalho.

"Simplesmente coloquei a violência que sofri debaixo do tapete por seis anos. Achei que não lidando com ela, sumiria em mim. Atrasei dois anos da minha faculdade por causa do estupro. Tranquei todas as matérias do curso porque vê-lo todos dias era torturante. Ele é um cara impulsivo, agressivo. O que mostrou no BBB não chega perto do que é na vida real", disse Themis à revista Marie Claire.

A estudante Freya acusa o ex-brother de tentar estuprá-la em 2016, também nos jogos universitários. Prior teria aproveitado seu estado de embriaguez e, dentro de sua barraca, tentou forçar um ato sexual mesmo sem preservativo.

"Quando começou o BBB, vi um tuíte de uma garota que dizia que o Felipe tinha fama de assediador no Mackenzie. Foi quando entendi que a violência que sofri não era única", disse Freya.

A terceira mulher que acusa o paulista afirma que foi estuprada em 2018. O ato teria acontecido na mesma situação dos outros dois, no Interfau. Inicialmente, Ísis conta que iniciou relações sexuais de maneira consentida, mas o ex-BBB passou a agir de maneira agressiva e não parou quando ela pediu. Duas testemunhas sustentam a versão da jovem.

"Eu achava que ia superar através do esquecimento. Mas vê-lo na TV me despertou muitos gatilhos e medo de me relacionar com homens", afirmou Ísis.

Após os casos, a comissão da Interfau baniu o arquiteto dos jogos. Apesar das acusações, nenhuma das mulheres prestou queixa contra Prior na época. As advogadas Maira Pinheiro e Juliana de Almeida Valente representam as três acusantes, que se uniram para formar a denúncia.

As advogadas entraram com um pedido de medidas cautelares para que Felipe fosse proibido de manter contato com as vítimas. A solicitação foi acolhida pela Promotoria de Justiça do Estado de São Paulo e aguarda julgamento. Segundo a reportagem, como os crimes aconteceram em três cidades diferentes, a investigação poderá ser realizada por um grupo do Ministério Público ou se desdobrar em até três inquéritos diferentes.