Brasil

Advogada de Neymar é expulsa de Comitê para Defesa das Mulheres; OAB repudia

A entidade entende que "numa democracia todos tem direito a defesa e um advogado."

Ancelmo Gois, da Agência O Globo
- Atualizada em

A decisão da seção brasileira do Cladem – Comitê da América Latina e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher – de expulsar de seus quadros a advogada Maíra Fernandes, contratada para defender Neymar, acusado de estupro, foi criticada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A OAB saiu em defesa da advogada, que tem uma história de luta pelos direitos das mulheres. A entidade entende, com razão, que numa democracia todos tem direito a defesa e um advogado.

Durante esta semana, Maíra Fernandes publicou em uma rede social uma carta explicando o porquê de ter aceito defender Neymar no caso.

"O que vi me deixou em tudo confortável para exercer a defesa do cliente, por compreender que uma acusação criminal injusta destrói a vida de uma pessoa e por entender que uma falsa acusação de estupro não ajuda a causa feminista. Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no país. Um registro falso de estupro não contribui em nada para diminuir ou combater esse crime"