Brasil

Após críticas, mulher que levou tapa de sertanejo defende cantor: 'Me mima'

Vídeo foi feito no domingo, durante a última edição da Cavalgada

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Franciele Idalino, mulher do sertanejo Hangell Borges, desabafou depois da grande repercussão do vídeo em que aparece levando um tapa do cantar. Ela afirmou que o caso foi um "fato isolado", que não considera o que aconteceu uma agressão e que é "mimada" pelo marido. O vídeo foi feito no domingo, durante a última edição da Cavalgada.“Vejo pessoas, mulheres principalmente, dizendo que nos merecemos, que eu gosto de apanhar, que já devo ser acostumada com essa vida e etc. Quero saber se alguma dessas tem um marido que se preocupa, que a trata com carinho, que lhe dê atenção todos os dias, que lhe mime. Você tem uma pessoa que a acorde todos dias dizendo que ama você? Porque eu tenho”, escreveu ela no Facebook.

Franciele Idalino fez postagem em perfil no Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)

Franciele escreve ainda que se sentiu julgada por todos. Ela chama a cena de "desagradável", mas diz que o tapa de Hangell pegou apenas nos seus óculos e, quando ele percebeu que ela não gostou, explicou que se tratava de uma brincadeira.“Óbvio que não gostei, mas ele, quando percebeu que a brincadeira foi pesada, veio até mim me abraçar e disse que era apenas uma brincadeira. Não estou defendendo esse tipo de comportamento. Porém, não caracterizei como agressão, pois não estávamos discutindo nem nada. Não vivo de aparências e nem sou maltratada”.

Leia o texto publicado por ela:É fácil julgar uma situação quando não está nela ou simplesmente dar opinião sem ao menos nos conhecer. Hoje um vídeo envolvendo eu e meu marido tomou conta dos jornais e redes sociais de todo o Brasil. Então se querem saber de fato o que aconteceu, vamos lá.Vejo pessoas, mulheres principalmente dizendo que nos merecemos, que eu gosto de apanhar, que já devo ser acostumada com essa vida e etc. Algumas dessas pessoas me conhecem? Com certeza NÃO, pois se me conhecessem não falariam uma barbárie dessas.Quero saber se alguma dessas tem um marido que se preocupa com elas, que a tratam com carinho, que lhe dê atenção todos os dias, que lhe mime, que lhe busque no trabalho, que tenha prazer em sair com você? Porque eu tenho!
Franciele e Hangell (Foto: Reprodução)

Você tem uma pessoa que a acorde todos os dias dizendo que ama você? Porque eu tenho!Muitos que nos julgam, não sabem metade do que já passamos para estarmos juntos hoje. Então gente, só quem vive numa relação, pode dizer como ela é. Nossos amigos próximos sabem como é a nossa vida cotidiana e que amor temos de sobra. Mas o que vejo aqui, são apenas pessoas que se julgam "ter uma vida perfeita" julgando esse "fato isolado" sem nos conhecer. De fato a cena do vídeo foi desagradável, óbvio que eu não gostei, mas ele quando percebeu que a brincadeira foi pesada veio até mim, me abraçar e disse que era apenas brincadeira. Não estou defendendo esse tipo de comportamento, pois se todos não gostaram, imaginem eu.Porém não caracterizei como agressão, pois não estávamos discutindo, nem nada. Apenas estávamos conversando sobre episódios da cavalgada em si e em um momento impensado e sem medir as consequências deu um tapa no meu rosto q por sinal pegou no meu óculos, na hora falei: você tá doido, olha o q você fez. Aí ele: para amor estava só brincando, tentou me abraçar e eu fiquei emburrada, de fato foi uma atitude estúpida, mas não entendi como agressão pelo fato de não ter antecedido nada antes daquilo. Então, pra vocês que viram uma parte do vídeo fica fácil darem a opinião, mesmo que essa não tenha sido pedida por mim e nem por ele. Acho que na relação de um casal, quem deve ter direito de achar ou não, é apenas o casal. Na cavalgada em si, vi espancamentos de mulheres por vários homens, pancadaria por cima de pancadaria e o vídeo que mais deram atenção foi esse, mesmo após termos explicado toda a situação. E pra quem acha que eu deveria me envergonhar ou simplesmente baixar a cabeça, estão enganados. Dou a mim o direito de levar a vida com quem eu gosto e com quem me faz feliz. Não vivo de aparências e nem sou maltratada. Acho inclusive se a maioria das que vi revoltada nos comentários dizendo que "gosto de apanhar", "que sou acostumada com agressão", tivessem a vida que tenho em casa, sendo cuidada e tratada com carinho, não teriam tempo para perder com comentários sobre o relacionamento alheio.

Correio24horas