Brasil

Após morte, Gabriel Diniz ganha 700 mil seguidores em menos de dez horas

São milhares de mensagens de despedida que proliferam nas postagens que o cantor fazia regularmente

Agência O Globo
- Atualizada em

No momento que a morte do cantor Gabriel Diniz foi anunciada, seu perfil no Instagram tinha pouco mais de 3,5 milhões de seguidores. Este número já chegou a 4.261.564 milhões de seguidores em menos de dez horas depois da confirmação.

Foto: Reprodução | Instagram

São milhares de mensagens de despedida que proliferam nas postagens que o cantor fazia regularmente. O último deles, mostra Gabriel Diniz no show que fez no domingo, em Feira de Santana, na Bahia. Assim como novos seguidores, o perfil de Gabriel recebeu muitas mensagens de famosos.

Cachês subiram após Jenifer

Do fim de 2018 para cá, a vida de Gabriel Diniz mudou com o estouro de "Jenifer", que acabou sendo alçada ao posto de hit do verão. Com o sucesso, o cantor viu se cachê aumentar e chegar ao patamar de R$ 120 mil, dependendo do tipo de apresentação. O "O cachê das apresentações variava entre R$ 80 mil e R$ 120 mil, mas a maioria dos shows eram negociados por R$ 100 mil", conta um empresário do meio.

O cachê de R$ 80 mil costumava ser cobrado em shows menores, como ele fez no último sábado, 25, num casamento em Caruaru, Pernambuco. E Gabriel estava com a agenda lotada de shows até o fim de junho, com shows programados nas festas de São João pelo país.

Nova música seria hit

Gabriel Diniz tinha um novo hit para lançar em breve. “Chá de cama” é o nome da música que ele gravou com Simone e Simaria e que iria entrar em seu próximo DVD. “Nos encontramos há três semanas num show em Aparecida de Goiânia. Ficamos conversando no camarim e ele me disse: ‘Tá gravada a música’. Pedi para me mostrar para eu não morrer de ansiedade. Nem ouvi ainda”, conta Thales Gui, um dos compositores de “Jenifer”, maior sucesso do cantor de forró.

Gabriel ouviu a música “Chá de cama” em novembro, quando já tinha gravado “Jenifer”. “Ele ficou maluco. Pagou a música no mesmo dia e apostava muito num novo sucesso”, recorda Thales, que ainda não consegue acreditar na morte do cantor: “Não éramos amigos, não andava junto, mas esse cara mudou toda a minha história, mudou a minha vida”.