Brasil

Após polêmica, marca de papel higiênico preto muda slogan de campanha

Marca foi acusada de racismo por usar termo de um movimento negro da década de 60

Agência O Globo

Após usar a frase #BlackIsBeautiful (preto é bonito, em tradução livre) para promover o primeiro papel higiênico de cor preta no Brasil e ser acusada de racismo, a marca Personal, da fábrica Santher, mudou o slogan da campanha. Na internet, a propaganda, que começou a ser divulgada nesta segunda-feira, recebeu uma enxurrada de críticas por usar o mesmo termo de um movimento negro criado na década de 1960, nos Estados Unidos, por artistas e intelectuais para enaltecer características físicas de negros.

Em comunicado publicado no site oficial, a Santher afirma que "jamais teve qualquer intenção de provocar uma discussão de cunho racial". De acordo com a companhia, o objetivo da campanha era "enfatizar a beleza e a sofisticação da cor preta, considerada ícone de estilo, luxo e refinamento". Ainda na nota, a empresa pediu desculpas a quem se sentiu ofendido com o slogan. "Desta forma, a Companhia vem a público informar que o slogan já foi retirado da campanha, além de apresentar suas desculpas por eventual associação equivocada da frase adotada ao movimento negro, que tanto respeitamos e admiramos".

Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira, diversos internautas criticaram o uso da expressão pela marca. "Pessoas morreram para que essa expressão fosse reverenciada até hoje. Pessoas continuam morrendo e essa expressão é mais importante e vital que nunca", disse o escritor Anderson França, contrário à campanha, em publicação feita no Facebook.

No Twitter, internautas também criticaram a ideia. "No close errado de hoje, marca famosa usa o nome de movimento contra o racismo para promover uma marca de papel higiênico", disse um usuário do microblog. "Usar #Blackisbeautiful como slogan pra vender papel higiênico, caras. Como é possível isso? Que coisa horrorosa", disse outro internauta.

A campanha, estrelada pela atriz Marina Ruy Barbosa, foi fotografada por Bob Wolfenson. Em seu Instagram, a artista divulgou o produto, mas sem usar a hashtag alvo de polêmica.
Foto: Reprodução