Brasil

Assessora se diz alvo de 'acusações injuriosas' por vídeo de sexo vazado no Senado

O senador Ciro Nogueira (PP-PI), para quem Denise Rocha trabalha, afirmou que ela deverá ser demitida em agosto

Da Redação
- Atualizada em

A assessora parlamentar Denise Leitão Rocha negou que é a mulher que aparece em cenas de sexo em um vídeo que vazou no Senado e disse, em entrevista nesta quinta-feira (19), que é alvo de "acusações injuriosas".


O senador Ciro Nogueira (PP-PI), para quem Denise Rocha trabalha, afirmou que ela deverá ser demitida em agosto, quando retornar do período do recesso parlamentar. Em entrevista ao G1, Denise disse que pretende processar todos os sites que noticiaram o caso.


No vídeo, mulher que seria assessora aparece em cenas íntimas com um homem





"A única coisa que eu te falo é que todos os sites vão ser processados. E quando eu puder falar, vou falar", disse a assessora ameaçando processar o jornalista do G1.


De acordo com o jornal Extra, Denise está de férias do Senado desde o início da semana, quando o vídeo com as cenas de sexo vazou primeiro entre celulares e tablets do Senado e depois foi parar na internet.


"Confio no meu taco", diz esposa de senador
A esposa do senador Ciro Nogueira, a deputada federal Iracema Portella (PP-PI), disse, em entrevista ao Extra, que Denise era uma excelente funcionária, mas a demissão, realmente, foi definida por conta do constrangimento criado pelo vazamento de um vídeo.


Na entrevista, Iracema diz que não sentiu ciúmes, nem desconfianças por conta da divulgação do vídeo. "Não tive ciúme. Eu me garanto. Confio no meu taco. Sou bem tranquila com isso, até porque nasci na política. Minha família toda é de políticos. O Ciro tem boa aparência, já me acostumei com isso. Sou muito segura", comenta confiante.


Repercussão do vídeo
Segundo o jornal “Extra”, uma pessoa dizendo-se da revista Playboy ligou para o gabinete do parlamentar buscando o contato de Denise Leitão Rocha, uma das assessoras do político do Piauí.


Na noite de terça-feira (17), o parlamentar relatou à imprensa que a situação de vazamento do vídeo é "muito constrangedora". De acordo com informações do portal G1, a gravação circulou entre assessores e jornalistas que cobrem a CPI do empresário Carlinhos Cachoeira.


A origem da publicação e as circunstâncias em que foram gravadas as imagens ainda são desconhecidas. Em entrevista ao site da Globo, o senador disse acreditar que o vídeo foi feito antes de a assessora ser nomeada pelo gabinete, no início de 2011. Ele também não tinha informações sobre a origem da publicação do vídeo.


Em entrevista ao jornal Extra, a assessora disse que não viu o vídeo, mas afirmou que pretende entrar na Justiça contra o responsável pelo vazamento das imagens.


Matéria original: Correio24h

Assessora se diz alvo de 'acusações injuriosas' por vídeo de sexo vazado no Senado