Brasil

"Ato impensado", afirmou funcionária que gravou vídeo de corpo de Cristiano Araújo

Delegado revelou parte do depoimento dos responsáveis pela gravação das imagens

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Marco Antônio Ramos, 41 anos, e Márcia Valéria dos Santos, 39, são os funcionários que aparecem no vídeo do momento em que o corpo do cantor Cristiano Araújo era preparado para o sepultamento. Eles já foram indiciados pela polícia e vão responder pelo crime de vilipendiar cadáver (desrespeito ao corpo), com pena que vai de um a três anos de prisão. Em entrevista ao G1, o delegado Eli José de Oliveira, do 4º Distrito Policial de Goiânia, revelou parte do depoimento deles.

Funcionários que vazaram o vídeo foram indiciados por vazamento de imagens do corpo de Cristiano Araújo


Tanto Marco quanto Márcia são técnicos em tanatopraxia (procedimento de retirada dos fluídos do corpo para o enterro) e trabalhavam para a Clínica Oeste Tanatopraxia, mas já foram demitidos do local. "Nos depoimentos tanto o eles assumiram que sabiam do regimento interno da clínica em que trabalham que impede o registro de imagens dos cadáveres. Ela afirmou que já trabalhava no local há quatro anos e que o ato foi impensado", explicou o delegado.


Durante o depoimento, Márcia também contou que passou o vídeo apenas para um colega do curso de enfermagem que frequenta. Essa terceira pessoa ainda será ouvida e é apontada como responsável por divulgar as imagens nas redes sociais. "A Márcia disse também que o Marco só percebeu que ela estava gravando quando já estava no meio da filmagem, mas não a impediu", revelou Oliveira para a reportagem.


Acompanhe tudo sobre a morte do cantor Cristiano Araújo


"Ela não chorou, mas teve uma postura de arrependimento. Falou que foi um ato impensado. Ele não falou muito, disse que não teve participação na história. Realmente não foi ele quem filmou, mas aceitou o que ela estava fazendo e, em determinado momento, pede para ela fazer uma coisa. Ele poderia ter pedido para a filmagem parar. Por isso não é possível que ele seja condenado e ela não", explicou Oliveira.


O delegado contou ainda que inquérito sobre o caso já está em fase final de conclusão e que a sócia-proprietária da clínica, Laurinete Menezes Oliveira, também foi ouvida. "Ela ressaltou que todos os funcionários assinam o termo, que os responsabiliza pelos atos. Sendo assim, a clínica fica passível de uma ação cível, mas não criminal". Em comunicado divulgado, o estabelecimento afirmou que repudia a ação dos empregados. "Diante do erro cometido por dois funcionários de seu quadro profissional, a clínica informa que não é conivente com este tipo de conduta e que já tomou as providências legais para efetuar as demissões por justa causa", diz parte da nota enviada à imprensa.


Acidente, resgate e morte
Cristiano e Allana faleceram na manhã da quarta-feira (24) em um acidente de carro na BR-153. O fato aconteceu por volta das 3h30, no KM 614 da BR-153. O cantor estava voltando de um show na cidade de Itumbiara no momento. Além de Cristiano e Allana, o motorista Ronaldo Miranda e o assessor Vitor Leonardo também estavam no veículo, mas sobreviveram.


O cantor chegou a ser socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos. A namorada morreu no local. O motorista e o empresário estão internados no Instituto Ortopédico de Goiânia. O motorista que conduzia o carro, Ronaldo Miranda, 40, passou por teste do bafômetro que indicou que ele não consumiu bebidas alcoólicas, segundo o delegado Fabiano Jacomelis, responsável pelo caso.  Um jornal goiano descreveu em detalhes o momento do acidente e do resgate de Cristiano.