Brasil

Bebês são colocados em caixas de papelão por falta de leitos em Goiás

A maternidade Marlene Teixeira possui 13 leitos e está atendendo 30% a mais do que a sua demanda normal

Redação Correio 24h

Os bebês que nasceram há duas semanas atrás na maternidade Marlene Texeira, em Aparecida de Goiânia, foram colocados em caixas de papelão por falta de berços no local. O caso aconteceu durante um plantão de final de semana e foi confirmado em um comunicado pela Secretária de Saúde do município.  

Foto: Reprodução/TV Anhanguera
No comunicado, a Secretaria informou que o objetivo era tentar acolher o paciente da melhor forma, uma vez que a demanda do dia estava muito maior do que a quantidade de leitos disponíveis.

A mãe de uma criança foi informada da necessidade com antecedência e aprovou a decisão. Acompanhantes de outras gestantes que fazem o pré-natal na maternidade informaram sobre outras limitações do local, como a falta de quartos disponíveis e os partos que teriam sido realizados na enfermaria e não em salas de cirurgia.  

A maternidade possui 13 leitos e vem atendendo 30% a mais que a sua demanda normal, devido à redução da capacidade de unidades da capital.

"A maternidade é uma unidade de urgência e emergência e por isso não pode fechar as portas mesmo com todos os leitos ocupados, nem negar atendimento" explicou a nota da Secretaria.

Para evitar que a situação se repita, foram enviados três novos berços para a maternidade, e foi firmada uma parceria com hospitais privados, pactuados com o SUS, para enviar 150 pacientes por mês. Além disso, a unidade ganhará 10 novos leitos.