Brasil

Bolsonaro corta mais de 13 mil cargos em universidades públicas

Foram cortados cargos de direção, coordenação de cursos, funções comissionados e gratificações concedidas ao corpo docente

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que prevê a extinção de 13,7 mil cargos, funções e gratificações em universidades públicas de todo o Brasil. O documento extingue 21 mil mil funções de diversas instituições, mas a educação foi o setor mais atingido. As informações são da Folha de S. Paulo

Foram cortados cargos de direção, coordenação de cursos, funções comissionados e gratificações concedidas ao corpo docente das universidades.

De acordo com a reportagem, os detalhes das áreas mais atingidas pela nova medida não foram divulgado à imprensa. O material apresentado pelo Ministério da Economia especificava quais eram as pastas mais atingidas.

O governo argumentou que a medida se deve ao enxugamento da máquina pública, onde o corte de cargos seria a primeiras medidas a serem tomadas pelo governo Bolsonaro.

Durante a apuração, a reportagem da Folha certificou que foram eliminadas todas as funções gratificadas das recém-criadas universidades federais de Catalão (GO), Jataí (GO), Rondonópolis (MT), Delta do Parnaíba (PI) e Agreste de Pernambuco (PE).