Brasil

Bolsonaro deixa isolamento e vai para a rampa do Planalto cumprimentar manifestantes

Depois de desaconselhar atos por causa do risco do coronavírus, Bolsonaro interage com apoiadores e contraria recomendações

Paula Ferreira e Aguirre Talento, da Agência O Globo

Após passar pela manifestação contra o Congresso na Esplanada dos Ministérios e dar uma volta pela cidade, o presidente Jair Bolsonaro foi ao Palácio do Planalto para acenar para seus apoiadores. Sob gritos de "Bolsonaro, estamos com você" e "O povo está do seu lado", o presidente ficou diante do Planalto onde gravou uma live para o Facebook . Ele cumprimentou manifestantes com o punho fechado e chegou a fazer selfies com celulares de algumas pessoas.

Foto: Reprodução | Facebook 

Durante a transmissão, Bolsonaro disse que a manifestação não é contra o Congresso.
— Isso não tem preço (referindo-se aos gritos de apoio). Se trabalharmos pelo Brasil um ano a gente decola. Estamos todos no mesmo barco — afirmou o presidente. Populares que estavam no local xingaram o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.
Mais cedo, Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada, onde estaria em condição de isolamento devido ao contato com pessoas infectadas por coronavírus, e saiu em um comboio oficial até a Esplanada dos Ministérios, onde se concentra a manifestação realizada na capital federal. O presidente não desceu do veículo, mas parou rapidamente ao lado de um carro de som da manifestação.
Na sexta (13), após o primeiro teste de Bolsonaro para o coronavírus ter dado negativo, o Planalto informou que o presidente faria um segundo exame em sete dias. Este segundo exame está previsto no protocolo da Operação Regresso, do Ministério da Saúde, que prevê a segunda verificação e uma terceira, em 14 dias. Nesse período, Bolsonaro deveria ficar em isolamento. O próprio presidente alegou antes que não poderia cumprir as pessoas por segurança.