Brasil

Bombeiro incentiva a prevenção de afogamentos: 'Autocontrole é fundamental'

Caso do ator Domingos Montagner reacendeu debate sobre o perigo nas águas

Carla Letícia* (carla.leticia@redebahia.com.br)
- Atualizada em

A morte inesperada do ator Domingos Montagner nesta quinta-feira(15), durante as gravações da novela 'Velho Chico', em Canindé do São Francisco, no Sergipe, reacendeu a discussão sobre o perigo de afogamentos em rios e mares. Aos 54 anos, o ator foi puxado pelas águas durante um mergulho e não conseguiu se salvar, morrendo por asfixia mecânica por afogamento, segundo atestou o IML. 

Mas Montagner não foi o único. De acordo com uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático(Sobrasa), o Brasil é o terceiro país com mais casos de afogamento no mundo, perdendo apenas para Rússia e Japão. Em Salvador, a história não é diferente. O Capitão Luciano Alves, Comandante do Núcleo de Mergulho da Companhia de Bombeiros da Bahia, contou em entrevista ao iBahia que a razão das mortes é a falta de prevenção. 

Capitão da CMB-BA fala sobre causas de afogamento (Foto: Eli Cruz/iBahia)

Segundo o policial, saber nadar pode não ser o suficiente para o salvamento, assim como aconteceu com o global: "O local era desconhecido e mesmo assim ele mergulhou, talvez por achar a água tranquila. Entrar em um rio, mar ou qualquer água que você não conhece é imprudente e uma das principais causas de acidentes", afirmou. O local do Rio São Franscisco onde o ator se afogou era rochoso e evitado pelos moradores da região. 


Pescador diz que local do rio é perigoso: 'até barco afunda'


Apesar disso, não havia placas de sinalização nas margens do rio, o que pode ter levado o ator a acreditar que o local era seguro. "Recomendamos sempre que os banhistas procurem informações sobre o lugar que se está visitando, qual a região mais insegura, se já teve acidentes e etc", enfatizou o Capitão. Na situação da iminência de um afogamento, Luciano destaca a importância do controle emocional da vítima: "A pessoa precisa procurar manter a calma e flutuar, mas nunca tentar nadar contra a maré ou correnteza. Isso é de extrema importância". 

Como contou em depoimento, a atriz Camila Pitanga, que acompanhava o ator, tentou segurar a mão dele e puxá-lo para a pedra onde ambos estavam. Tentar alcançar alguém ou voltar para o local de onde saiu não é recomendado a quem está se afogando, segundo o bombeiro: "Isso pode acabar causando outra vítima e não vai ajudar no salvamento", ressalta. 

Ainda de acordo com Luciano, a ocorrência de situações de perigo na água é maior no caso de crianças e bebês, o que só poderá ser evitado com cuidados e atenção redobrada. "É importante não entrar na água longe de um salva-vidas ou bombeiro, seja em qualquer lugar", lembra.


*Sob orientação e supervisão da repórter Marília Galvão