Brasil

Casal é condenado a 50 anos de prisão por torturar e tentar matar a filha de meses

A criança era castigada de forma severa e constante com socos, pontapés e cotoveladas. Ela deu entrada em um hospital da cidade quatro vezes

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

O Tribunal do Júri condenou a 50 anos de prisão um casal acusado de torturar e tentar matar a filha de apenas dois meses.  O crime aconteceu em 2018, em Capivari de Baixo, Santa Catarina. De acordo com informações da Polícia Civil SC, investigações apontam que a motivação do crime envolvia desconfiança e suspeita de traição por parte do pai da criança, que não aceitava o fato de ela apresentar cor da pele mais clara que a do casal. 

A criança era castigada de forma severa e constante com socos, pontapés e cotoveladas. 

Ela deu entrada em um hospital da cidade de Tubarão quatro vezes, em curto espaço de tempo, apresentando sinais de convulsão, sangramento na boca, afundamento craniano e lesões nos braços, pernas e costas, despertando nos médicos suspeitas de que as lesões eram decorrentes de agressões domésticas dolosas.

O hospital acionou o Conselho Tutelar que levou a denúncia à Polícia Civil de Capivari de Baixo. O homem foi preso por tentativa de homicídio desde a denúncia e a mãe da criança também foi acusada pelos crimes de tortura-castigo e homicídio qualificado na forma tentada, porque deixou a filha sofrer tais crimes, sem informar a autoridade para protegê-la.

O casal está no Presídio de Tubarão à disposição da Justiça. O Conselho de Sentença, representado por sete jurados, reconheceu parcialmente a culpabilidade do casal, e o juiz-presidente da sessão sentenciou o casal a penas privativas de liberdade que juntas somam os 50 anos de prisão.