Brasil

Casal é preso suspeito de matar nora e deixar a filha de 4 meses ao lado da vítima

Thais Mara dos Santos Gomes tinha registrado um boletim de ocorrência em maio contra a sogra

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em


Um casal foi preso nesta quinta-feira (4) como principal suspeito de matar uma jovem de 23 anos. Thais Mara dos Santos Gomes foi encontrada sem vida com uma faca cravada no braço, e sua filha, de apenas 4 meses, foi encontrada viva ao lado do corpo da vítima. O caso aconteceu em Primavera do Leste (MT). As informações são do G1 Mato Grosso.

Thais foi encontrada morta e, ao lado dela, estava a filha, uma bebê de quatro meses (foto: Reprodução/Facebook)

Os dois suspeitos são sogros de Thais. Marta Moraes Alves e Daniel Cirilo foram autuados por homicídio qualificado. De acordo com o G1, o casal foi interrogado e negou o crime.

A polícia conseguiu imagens de uma câmera nas proximidades da residência de Thais e, no vídeo, é possível que, por volta das 4h, Cirilo sai da casa de Thais e retorna para a própria residência. O acusado aparenta ter transtornos mentais.
Sogro e sogra são os principais suspeitos do assassinato (foto: reprodução/Facebook)

O casal foi conduzido à Delegacia de Primavera do Leste para prestar esclarecimentos, e mesmo após negar as acusações, eles já foram autuados em flagrante por homicídio qualificado.

O delegado Pablo Borges Rigo contou ao G1 que Thais registrou um boletim de ocorrência em maio deste ano por injúria proferida por Marta Moraes. A vítima não quis representar preventivamente contra a sogra.

Na última segunda-feira (1º), foi a vez de Marta e o marido registrarem um boletim de ocorrência contra Thais, por danos materiais, sob a alegação de que a moça foi até a casa do casal e quebrou objetos do local.

O corpo de Thais foi encontrado por um vizinho, que chamou a polícia a pedido do marido da vítima. Segundo o G1, o homem não conseguia falar com a esposa e pediu para o vizinho fosse procurá-la em casa.

Esse vizinho contou à policia que conversou com Thais na noite anterior ao crime e que ela falou que estava com medo da sogra. Além das ameaças de morte, Marta alegava que a bebê não é filha biológica do marido de Thais.

Segundo o vizinho contou ao G1, a vítima ainda afirmou que tinha uma medida preventiva contra a sogra, por conta de desentendimentos.