Brasil

Caso Carrefour: polícia prende funcionária envolvida na morte de João Alberto

Adriana Alves Dutra acompanhou os dois seguranças que espancaram a vítima até a morte; no vídeo, ela aparece filmando a cena

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A polícia prendeu nesta terça-feira (24) a funcionária do supermercado Carrefour de Porto Alegre (RS), Adriana Alves Dutra, que acompanhou toda a ação dos dois seguranças que espancaram João Alberto até a morte. Nas imagens que viralizaram nas redes sociais, ela aparece filmando a cena. O crime aconteceu no dia 19 de novembro, véspera do Dia da Consciência Negra, no estacionamento do supermercado. As informações são do G1 Rio Grande do Sul.

Os suspeitos, o segurança Magno Braz Borges, de 30 anos, e Giovane Gaspar da Silva, de 24, que também é policial militar temporário, foram presos em flagrante do dia do crime.

Ao G1, a delegada do caso, Vanessa Pitrez, informou que a polícia acredita que Adriana teve participação decisiva na sequência de agressões sofridas por João Alberto, pois ela teria comando sobre os dois seguranças. Um motoboy que gravou o crime disse que foi ameaçado pela funcionária posteriormente.

A advogada que representa Adriana, Karla Sampaio, disse ao G1 que, até o momento, não iria se manifestar.

A polícia disse também ao G1 que investiga se a funcionária do Carrefour mentiu sobre o crime. Primeiramente, ela disse que o policial que agrediu João Alberto era cliente do supermercado e não um segurança do estabelecimento. Adriana disse também que não ouviu a vítima pedir ajuda.


Após a prisão da funcionária, o G1 entrou em contato com o Carrefour, mas até o momento não obteve resposta.