Brasil

Caso Carrefour: 'Sem cena, tá?', diz segurança para João enquando ele estava imobilizado

Vítima foi imobilizada a espancada até a morte no estacionamento do supermercado Carrefour em Porto Alegre

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Um novo vídeo obtido pelo site GaúchaZH mostra um homem que vestia roupas semelhantes a do segurança que espancou João Alberto, dizendo: "Sem cena, tá? A gente te avisou da outra vez". No momento, a vítima estava imobilizada e agonizando no chão. As informações são do G1 Rio Grande do Sul.

João Alberto, de 40 anos, não resistiu aos ferimentos de uma sequência de agressões e morreu no estacionamento do supermercado Carrefour de Porto Alegre (RS), na última quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra.

Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva foram presos em flagrante e tiveram a prisão preventiva decretada posteriormente.

Nas imagens, ainda é possível ver ao menos sete pessoas presenciando a cena. A polícia investiga se há outros seguranças do estabelecimento envolvidos no crime. Ainda não se sabe o nome do homem que proferiu a fase para João no vídeo.

De acordo com a apuração do G1, os seguranças ficaram pressionando a vítima por cinco minutos contra o chão. De acordo com o laudo preliminar do Instituto Geral de Perícias, a causa da morte é asfixia.


Ao G1, o delegado do caso disse que jamais se justificaria qualquer tipo de desentendimento, seja ele qual for, para que levasse a efeito tamanha violência como a que ocorreu durante esta ação, desses seguranças, nesse supermercado".

Ainda segundo a apuração do G1, imagens do interior do supermercado mostram que João Alberto se dirigiu a uma funcionária em seguida foi encaminhado por dois seguranças para o estacionamento do estabelecimento.

O chegar no local, João deu um um soco contra um deles, Giovane. Em seguida, o homem começou a ser espancado pelos seguranças.

Uma funcionária disse à polícia que João fazia compras ao lado da esposa, Milena Borges, e contou que na semana anterior ao crime ela, ela soube que ele esteve no supermercado e 'importunou outros clientes'. Ainda segundo a mulher, foi pedido para que ele se retirasse da loja.

A defesa de Giovane ressalta que o segurança foi agredido e reconhece que ele se 'excedeu' na ocasião. A defesa de Magno vai aguardar o resultado dos laudos para se manifestar.

Veja a íntegra da nota do Carrefour

O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente. Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.