Brasil

Caso Mariana Ferrer: André Aranha é absolvido por 'estupro culposo'

Crime não está previsto na lei brasileira

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O caso Mariana Ferrer ganhou mais um capítulo nesta terça-feira (3). O site 'The Intercept Brasil' divulgou um trecho da audiência que absolveu em setembro André de Camargo Aranha, acusado de estuprar a influenciadora digital em uma festa em 2018. O promotor Thiago Carriço de Oliveira classificou o caso como "estupro culposo", crime que não está previsto na lei. O veículo jornalístico também divulgou a gravação do julgamento, em que o advogado de Aranha, Cláudio Gastão da Rosa Filho exibe fotos íntimas de Mariana.

Inicialmente, Aranha havia sido condenado por estupro de vulnerável pelo promotor Alexandre Piazza. A prisão preventiva do homem foi derrubada pela defesa e Thiago Carriço de Oliveira assumiu o caso. De acordo com Oliveira, não existiu a "intenção de estuprar" porque não havia como o empresário estar ciente de que a jovem não poderia consentir a relação sexual. O juiz Rudson Marcos acatou a tese do promotor e absolveu Aranha.



O Intercept entrou em contato com a OAB de Santa Catarina, que informou ter chamado Cláudio Gastão da Rosa Filho para se pronunciar sobre a conduta durante a audiência. Porém, de acordo com a Organização, o processo corre em segredo de justiça e mais informações não poderiam ser dadas. O advogado não quis comentar o caso e falou em “indagações descontextualizadas”.

Veja o vídeo