Brasil

Cobrança por mala de mão fora de padrão já começou em alguns aeroportos

Em Salvador, o período de orientação ao passageiro vai até 22 de maio

Agência O Globo
- Atualizada em

A cobrança para despacho de malas de mão fora do padrão estabelecido pelas companhias aéreas começa nesta segunda-feira, dia 13, nos voos nacionais que saem dos aeroportos de Rio (Galeão e Santos Dumont), São Paulo (Congonhas), Porto Alegre (Salgado Filho) e Goiânia (Santa Genoveva). As taxas variam de R$ 60, em caso de contratação por meios digitais, a R$ 120, para pagamento no balcão na hora do check-in.

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) encerrou ontem, nestes cinco aeroportos, a campanha de esclarecimentos sobre as medidas máximas que a bagagem de mão deve ter para ser levada a bordo. O padrão vale para as quatro companhias aéreas brasileiras (Latam, Avianca, Azul e Gol) e permite embarcar uma mala com 55 cm de altura por 35 cm de largura e 25 cm de profundidade, pesando até 10 quilos, sem custo.

Desde 2017, quando a resolução 400 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) começou a valer, as empresas aéreas nacionais podem cobrar pelo despacho de bagagens. A cobrança já havia sido iniciada, em 25 de abril, nos aeroportos Juscelino Kubitschek (Brasília/DF); Afonso Pena (Curitiba/PR),Viracopos (Campinas/SP) e Aluízio Alves (Natal/RN), os primeiros a receberem a campanha da Abear.

As bagagens que parecerem fora do padrão serão testadas em uma fôrma com as medidas padrão estabelecidas pelas companhias aéreas. Na avaliação de entidades de defesa do consumidor, o gabarito deveria ser certificado pelo Inmetro para que os viajantes tivessem certeza de que obedece as dimensões exatas. Em caso de dúvida, a orientação é procurar o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) local para uma verificação.

Nos aeroportos Luís Eduardo Magalhães (Salvador/BA) e Internacional de São Paulo (Guarulhos/SP) o período de orientação ao passageiro vai até 22 de maio. Para esses dois aeroportos, a triagem das bagagens para determinação de necessidade de pagamento para despacho começa no dia 23 de maio.

Quanto custa despachar

Na Azul - A empresa informou que as suas passagens estão classificadas em duas categorias: a “MaisAzul” e a “Azul”. A categoria MaisAzul inclui uma peça de até 23 kg de bagagem. Ao optar pela categoria Azul, o Cliente pagará mais barato pela passagem na comparação com a tarifa Mais Azul e poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Em ambas as categorias, o cliente poderá incluir uma peça de até 23kg de bagagem ou mais peças, a qualquer momento, a partir de R$ 60 pelos canais digitais ou call center e a partir de R$ 120 no aeroporto.

Na Gol - As bagagens despachadas podem ter até 23kg, cada. O direito de despachar uma peça em voo nacional pode ser comprado pelos passageiros que adquiraram seus bilhetes nas tarifas Light e Promo: por R$ 60 nos canais digitais, e por R$ 120 no balcão de check-in. Nas tarifas Plus e Max, o serviço é gratuito.

Na Latam - A companhia reforçou que é permitido despachar bagagens de até 23kg com dimensão máxima de 158 cm lineares (altura x largura x espessura). "Além disso, as franquias para despacho de bagagem estão disponíveis de acordo com o perfil de tarifa da passagem aérea adquirida. Para trechos domésticos no Brasil, o preço atual da Latam para o despacho da primeira mala é de R$ 59 (por trecho), válido para compras realizadas até 3 horas antes do embarque. Se a compra da bagagem for efetuada no momento do check-in, o valor é de R$ 120 (por trecho)".

Na Avianca - As bagagens despachadas em voos da Avianca devem ter no máximo 23 kg, com tamanho limite de 158 cm (somadas as três dimensões de largura, altura e comprimento). Para trechos domésticos, o serviço é cobrado na categoria Promo, custando R$ 60, válido para compras realizadas até 6 horas antes do embarque. Se a compra da bagagem for efetuada no momento do check-in, o valor é de R$ 100 (por trecho). Nas categorias Economy e Flex o serviço é gratuito para uma mala.