Brasil

Confira três atrações no Brasil para visitar no Dia da Consciência Negra

Quilombo dos Palmares é um dos lugares que mantêm viva a herança cultural africana

Agência O Globo

O Dia da Consciência Negra, feriado comemorado no Rio e em mais 1.043 municípios no próximo dia 20, é a chance de conhecer um pouco mais sobre a herança africana em diversas partes do país. Confira alguns lugares que podem ser visitados.

Foto: Divulgação

Quilombo dos Palmares

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares, onde Zumbi comandou sua resistência na Serra da Barriga, em Alagoas, é palco de uma grande celebração todo dia 20 de novembro, data da morte do líder negro, em 1695. Mesmo fora do feriado, o parque, que fica no município de União dos Palmares, a 80km de Maceió, chama a atenção pela reprodução do mais famoso quilombo brasileiro, abrigo de milhares de escravos por 105 anos.

Há réplicas de construções como casa de farinha e terreiro religioso, pontos de áudio em que são contadas as histórias de personagens marcantes da comunidade, que vão além de Zumbi, e mirantes para a serra.

O complexo conta ainda com um restaurante de cozinha afro-brasileira. Ele abre todos os dias, das 8h às 17h, com entrada franca.

Mina em Ouro Preto

omo Zumbi, Chico Rei sempre foi um personagem presente na cultura popular. Rei de sua tribo no Congo e trazido ao Brasil como escravo, enriqueceu com a mineração e conseguiu pagar pela alforria de muitos outros cativos na antiga Vila Rica, no século XVIII. Na atual Ouro Preto, sua história, nunca comprovada oficialmente, é contada na Mina do Chico Rei, exemplo de antiga escavação artesanal, comum em Minas Gerais.

Aberta diariamente, das 8h às 17h; ingressos a R$ 20.

Museu em Salvador

Localizado no Terreiro de Jesus, Centro Histórico de Salvador, o Museu Afro-Brasileiro se dedica às histórias de nações africanas e de seus descendentes no Brasil, com um acervo com mais de 1.100 peças dos dois lados do Atlântico, que vão de máscaras cerimoniais a obras de arte. Um dos destaques é o conjunto de 27 orixás entalhados em painéis de cedro feitos pelo artista plástico baiano Carybé.

A entrada custa R$ 6 e o museu funciona de segunda a sexta, das 9h às 17h.