Brasil

Consumo exagerado pode prejudicar sua saúde mental e financeira

Antes de comprar, pergunte a si mesmo se você realmente precisa disso

Evelin Azevedo, da Agência O Globo

Faltam dez dias para o Natal. Diante de tanto incentivo, é difícil passar por este período sem fazer gastos. Apesar de ser prazeroso comprar um presente — seja para você ou para alguém querido — esta atitude pode trazer muito sofrimento: é o que acontece com as pessoas que compram por compulsão.

O transtorno de compras compulsivas (TCC) é caracterizado como um comportamento crônico e repetitivo, que tem consequências prejudiciais e que normalmente ocorre em resposta a eventos ou sentimentos negativos.

— Algumas pessoas com TCC chegam até a descrever que experimentam um prazer semelhante ao sexual quando compram. E, após a aquisição, geralmente apresentam um sentimento de decepção ou desapontamento consigo mesmo — diz a neuropsicóloga Elaine Di Sarno.

O limite entre a compulsão e o consumismo está justamente no impacto negativo que o ato de comprar gera na vida do consumidor. Se após a compra a pessoa se sente mal, tudo indica que há um problema.

— Geralmente, as compras dos consumistas não afetam, por exemplo, sua relação com a família. Já aquele que compra compulsivamente tem prejuízos em vários aspectos da vida e se sente perdido quando não pode comprar mais nada. É uma situação perigosa, pois abre caminho para o desenvolvimento de outras compulsões, como por bebidas alcoólicas — alerta Rogério Panizzutti, psiquiatra e professor da UFRJ.

Ao identificar uma compulsão por compras, a família deve orientar a pessoa a procurar ajuda psicológica. Com orientação profissional, é possível sair da situação que, na maioria das vezes, arrasa com a vida financeira da pessoa.

— Antes do planejamento financeiro, é preciso tratar a compulsão, pois ela está associada a algum vazio emocional — orienta especialista em finanças Raffaela Fahel.

Varie as atividades
Quanto mais atividades prazerosas você fizer, menores serão as chances de criar compulsão por alguma coisa, como comprar. Portanto, comece a procurar outras coisas que gerem satisfação e as inclua na sua rotina

Procure ajuda profissional
Se você percebeu que suas compras viraram uma compulsão, procure por um(a) psicólogo(a) ou psiquiatra para tratar este problema, antes que ele cause danos irreparáveis

No consumismo

Você precisa disso?
Antes de comprar, pergunte a si mesmo se você realmente precisa disso. Se sim, para quando? Será que é realmente necessário comprar isso agora?

Evite fazer compras de madrugada
A internet nos dá a possibilidade de fazer compras a qualquer hora do dia. De madrugada, normalmente estamos mais cansados e vulneráveis a fazermos compras desnecessárias

Entenda suas emoções
Você costuma estar feliz ou triste quando decide fazer compras? As emoções, às vezes, determinam o que você vai comprar ou não. Tente estar neutro (nem muito feliz nem muito triste) na hora de comprar

Não tenha pressa
A afobação por querer comprar logo pode fazer você adquirir aquilo que não precisa. Tenha calma

Compre acompanhado
Uma pessoa ao seu lado pode evitar que você extrapole e cometa excessos na hora de comprar

Planeje a compra
Na hora de ir ao shopping ou de fazer uma compra online, tenha em mente exatamente o que você precisa comprar. Nada de ficar olhando promoções alheias

Dinheiro contado
Nada de sair de casa com muito dinheiro na carteira nem com vários cartões de crédito. Ande com a quantia necessária para comprar aquilo que foi planejado

Olhe em casa antes de comprar
Antes de sair de casa ou comprar algo pela internet, veja se você já não tem aquele item. Às vezes, você comprou, deixou guardado e esqueceu que tem

Verifique o seu orçamento
Você vai ter dinheiro para comprar este produto que você deseja? Ele não vai extrapolar suas finanças? Some todas as suas despesas fixas e veja o quanto precisa pagar de cartão de crédito no próximo mês. Comprar um produto na promoção em uma hora financeiramente desfavorável pode sair mais caro