Brasil

Coronel da Polícia Militar e namorada são acusados de estuprar menina de 11 anos

A criança contou para polícia que o casal fazia sexo na sua frente e também a tocava

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
O coronel da Polícia Militar do Ceará (PMCE) Jaime de Paula Pessoa Neto, de 53 anos, e a namorada dele, a universitária Lorena Bezerra de Melo, 37, foram acusados de estuprar menina de 11 anos. De acordo com informações do G1 Ceará, os abusos começaram em 2014 quando a menina tinha seis anos, mas foram denunciados em maio deste ano. As investigações correm sob sigilo de Justiça. 
Segundo o G1 Ceará, o caso foi denunciado pela mãe da criança, na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca), em 10 de maio de 2019.  As defesas dos suspeitos negam os abusos e alegam que a mãe  inventou a história, após ser ameaçada de perder a guarda da criança.
Conforme o boletim de ocorrência, a criança contou sobre os abusos para os parentes após assistir um vídeo educativo na escola e perceber o que havia ocorrido com ela. A menina contou para polícia detalhes do abusos,  que muitas vezes eram acompanhados de filmes pornográficos na TV.
Foto: Paulo Sadat/SVM
No relato, ainda consta que a vítima apresentou tumores e manchas brancas nos órgãos genitais, meses antes da denúncia. Além disso, o documento acrescenta que o militar presenteava a menina. 
A criança contou para polícia que o casal fazia sexo na sua frente e também a tocava. "Disse que o coronel sempre pedia para ela que não contasse nada para ninguém, dizendo-lhe o seguinte: 'Você é só minha! Isso é só meu!'", descreve o termo de declaração da vítima. 
Os exames realizados pela Perícia Forense do Ceará (Pefoce) no corpo da vítima não encontraram esperma e atestaram que a membrana himenal e o ânus da criança estavam íntegros. Mesmo com os resultados, a Polícia Civil indiciou o coronel Jaime Neto e a namorada. 

"Insta assinalar que a não constatação de vestígios não exclui a ocorrência de violência sexual, mormente pelo fato dos crimes contra a dignidade sexual serem praticados, via de regra, de forma extremamente efêmera e na clandestinidade, longe de eventuais testemunhas e sob ameaça ou recompensa da perpetuação do sigilo", considera o relatório final do inquérito policial.

O coronel era um amigo da família e morava próximo à casa dela. Jaime de Paula Pessoa Neto e a namorada negam as acusações. 
De acordo com o G1 CE, no dia 1º de novembro, a 12ª Vara Criminal da Comarca de Fortaleza confirmou o recebimento da denúncia do Ministério Público do Ceará (MPCE) contra o casal e marcou a primeira audiência do processo na Justiça para 23 de março de 2020.