Brasil

Deputada descartou possibilidade de existir arma em casa, agora encontrada pela polícia

Ao ser questionada se Anderson teria atirado contra os assassinos e se teria um revólver, ela frisou que "nunca" usaram armas 'dentro de casa'

Agência O Globo

A deputada federal Flordelis afirmou no domingo (16) que o marido, o pastor Anderson do Carmo, foi morto em uma tentativa de assalto em uma tentativa de assalto tentando evitar que supostos assaltantes entrassem no imóvel. Ao ser questionada se Anderson teria atirado contra os assassinos e se teria um revólver, ela frisou que "nunca" usaram armas "dentro de casa". Na noite desta terça-feira (18), durante buscas na residência, a Delegacia de Homicídio de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) encontrou uma pistola no quarto do filho, suspeito de ser mandante do crime, Flávio dos Santos Rodrigues.

Foto: Reprodução
— Nenhuma arma, nunca usamos armas em casa. Nenhuma arma — respondeu Flordelis.

A pistola 9mm encontrada, segundo a delegada titular da DHNSG Barbara Lomba, pode ser a arma usada no assassinato do pastor Anderson do Carmo. Uma primeira perícia feita pela Divisão de Homicídios constatou que pistola é a mesma usada na noite do crime. Uma outra perícia no Instituto de Criminalista Carlos Eboli será feita, nesta quarta-feira, para confirmar o primeiro resultado de que a arma foi a utilizada.

— Na casa, encontramos uma pistola 9 milímetros no quarto ocupado pelo Flávio. Coletamos o padrão balístico da arma e já há uma primeira indicação de que é a arma do crime. Nós achamos hoje na casa a arma utilizada no crime — contou a delegada Barbara Lomba.

No dia do homicídio, a polícia recolheu nove munições que estavam no local. Elas foram comparadas com as munições da arma apreendida no quarto de Flávio

— Os estojos ficam com as marcas da arma. Fizemos tiros com a arma que coletamos e eles foram comparados — disse a delegada.


A possibilidade do crime ter sido um latrocínio — roubo seguido de morte, está descartada pela DH. A polícia agora apura quem foi o autor dos disparos e a motivação do crime. Flavio deverá ser ouvido novamente, ainda nesta semana, sobre as novas provas encontradas.

A assessoria da parlamentar foi procurada para comentar a declaração após as novas descobertas da Polícia Civil, mas não retornou o contato até a última atualização desta reportagem.