Brasil

'Desejava matar para ver como é', diz jovem que matou e esquartejou estudante de 16 anos

“Ele narrou que cortou o pescoço dela, abriu o chuveiro e esperou drenar todo o sangue", explicou o delegado responsável pelo caso

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Na última segunda-feira (10), a estudante Yasmin da Silva Nery, de 16 anos, foi encontrada morta e esquartejada, em Araraquara (SP). De acordo com informações do G1 São Paulo, o suspeito de cometer o crime, um jovem de 17 anos, já foi detido pela Polícia Civil e explicou a motivação do crime: "deseja matar para ver como é". 

O jovem também explicou que a vítima foi escolhida ao acaso. Ainda segundo informações do G1 SP, o suspeito teve ajuda da ex-namorada para transportar as partes do corpo de Yasmin Silva.

Foto: reprodução

"Ele contou que a parte do corpo guardada na casa dele era um troféu. Pouco antes de deixar a delegacia, disse que não estava arrependido. A ex-namorada apresentou algum arrependimento na frente da mãe, mas quando ela estava com a gente até dava risada do que estava acontecendo", contou o delegado Fernando Bravo, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) ao G1. 

A polícia ainda procura partes do corpo da estudante que foram jogadas na rede de esgoto. As investigações levaram ao suspeito depois que a família de Yasmin contou que o último contato dela tinha sido com o adolescente. 

"Inicialmente ele estava muito nervoso, começou a apresentar versões contraditórias. Saímos com diligências e,chegando na casa onde ele mora com a mãe, ele já começou a nos dizer que realmente ia falar a verdade e acabou por confessar que tinha matado", disse o delegado ao G1 SP. 


Crime 

O jovem confessou para polícia que matou Yasmin, cortou seu corpo e espalhou pela cidade. "Conseguimos encontrar uma parte do tronco e um pedaço da perna na casa dele. Cabeça e outros membros estavam em uma represa. E outras partes foram jogadas dentro de uma galeria de esgoto. Estamos trabalhando para recuperar essas partes", revelou o delegado. As investigações também apontaram que a ex-namorada ajudou-o o adolescente no transporte de pedaços do corpo até a represa. Ela também foi apreendida e será apresentada ao Ministério Público junto com o ex-companheiro para responder pela participação no crime. 

Foto: reprodução /  ACidadeON/Araraquara

De acordo com informações do G1 SP, o jovem conheceu Yasmin em uma festa no sábado (8) e marcou de encontrá-la no dia seguinte. Yasmin foi até a casa do suspeito. Local em que foi estrangulada e teve o pescoço cortado. “Ele narrou que cortou o pescoço dela, abriu o chuveiro e esperou drenar todo o sangue, levou em torno de uma hora para depois começar esquartejar”, contou o delegado. 

Objetos pessoais (tênis, óculos, aparelho celular quebrado e documentos) de Yasmin foram encontrados na casa do adolescente. O suspeito foi encaminhado para a Fundação Casa de São Carlos, enquanto a ex-namorada foi levada para a Fundação Casa de Franca.


Desaparecimento de Yasmin 

Em entrevista ao G1 SP, o pai da vítima, Waldir Nery, contou que no domingo a filha saiu de casa falando que ia a um show com um amigo e que posteriormente a família descobriu que ela estava com o suspeito de crime. 

“Ela saiu de casa umas 16h30 e as 17h a mãe dela ligou e ela ainda atendeu. Ela disse que tinha ido com um colega que a gente conhece, mas aí a mãe ligou para confirmar e o moleque não estava com ela não, era esse outro, ela mentiu”, disse Nery ao G1 SP. 

A estudante chegou a compartilhar em sua conta do Twitter que iria encontrar um desconhecido no domingo (9). Confira: