Brasil

Dez anos depois, avô de Isabella Nardoni acredita que pai é inocente

Isabella tinha cinco anos, em 29 de março de 2008, quando foi morta

Redação Correio 24h

A morte da menina Isabella Nardoni, crime que chocou o país, completou dez anos ontem e, em entrevista ao portal G1, o avô paterno da menina, o advogado Antonio Nardoni, voltou a afirmar que o pai da criança é inocente.

Alexandre Nardoni e a madrasta de Isabella, Anna Carolina Jatobá, foram condenados como autores do assassinato e atualmente cumprem pena.

Segundo o avô paterno, a perda de Isabella não ocorreu apenas para família materna. "As pessoas esquecem que a Isabella é também minha neta", disse Antonio durante a entrevista.

Antonio Nardoni, que também foi investigado pela polícia, que chegou a apurar se ele teve alguma participação na morte de Isabella, afirmou que continua lutando para provar à justiça e à sociedade que o filho e a nora não mataram a criança.

"Estou tranquilo da inocência da minha nora e do meu filho. Sempre tive essa convicção”, afirmou ao G1. Isabella tinha cinco anos, em 29 de março de 2008, quando foi morta.