Brasil

DJ Rennan da Penha aguarda há dez dias revisão de sua pena por STJ

Criador do Baile da Gaiola foi preso em abril após ser condenado em 2ª instância a seis anos

Bia Rohen, da Agência O Globo
DJ Rennan da Penha aguarda há dez dias a decisão do Superior Tribunal de Justiça sobre seu pedido de liberdade, ainda sem resposta. O criador do Baile da Gaiola foi preso em abril após ser condenado em 2ª instância a seis anos de prisão por associação ao tráfico.
Foto: Reprodução/Instagram
O advogado do DJ, Allan Caetano, acredita que seu cliente será solto até dezembro. "Até o presente momento estamos aguardando decisão do Exmo. Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Dr. Rogerio Schietti, sobre o pedido de liberdade de Rennan, entregue em seu gabinete no dia 11 de novembro com pedido liminar. O pedido de liberdade está pendente de apreciação e, segundo nos confirmou por telefone a chefe de gabinete do Ministro, a decisão sobre o pedido pode sair a qualquer momento", revelou ao jornal 'Extra'.
O pedido foi feito com base na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou, por seis votos a cinco, a possibilidade de prisão por condenados em segunda instância, ou seja, do cumprimento da pena somente após julgamento de todos os recursos. Rennan da Penha havia sido absolvido na primeira instância do julgamento. Na ocasião, a Ordem dos Advogados do Brasil questionou a prisão de Rennan e afirmou que a condenação seria uma tentativa de criminalizar o funk.
Morador do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, Rennan estourou no ano passado, após criar o chamado 150 bpm, um ritmo mais acelerado de funk que ainda na favela atraiu o asfalto e colocou o nome do produtor em destaque. Rennan está preso desde abril no presídio Bangu 9, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio.