Brasil

Eike permanecerá calado em depoimento a investigadores da PF, que conclui inquérito

Empresário já tinha ficado calado em depoimento prestado no último dia 31

Agência O Globo
O advogado do empresário Eike Batista, Fernando Martins, disse nesta quarta-feira, ao chegar na Superintendência da Polícia Federal no Rio, que o cliente permanecerá calado no depoimento de hoje e que prestará os esclarecimentos apenas em juízo. Eike, que está preso em Bangu 9, chegou à PF às 9h22m.
"Algumas pessoas foram chamadas para prestar esclarecimentos, inclusive o senhor Eike. No sentido em relação a ele, a orientação da defesa permanece a mesma, de prestar todos os esclarecimento em juízo", afirmou advogado.
Eike já tinha ficado calado em depoimento prestado no último dia 31. Os acusados voltam a prestar depoimento nesta quarta-feira porque os investigadores querem esclarecer algumas dúvidas que restaram com oitivas anteriores.

A PF concluiu ontem o inquérito da Operação Eficiência, deflagrada pela Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros no último dia 26. Doze pessoas foram indiciadas na investigação que apura autoria e materialidade pela prática dos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva, além de organização criminosa. Os nomes dos indiciados ainda não foram divulgados.

Além de Eike, chegaram para depor também o ex-secretário de Obras Hudson Braga, preso na Operação Calicute, em novembro do ano passado, o doleiro Álvaro Novis, Ary Ferreira Filho e Francisco de Assis, apontado como operadores, e Flavio Godinho, ex-sócio de Eike, alvos da Operação Eficiência e Mascate.
Segundo a PF, o relatório conclusivo do inquérito será encaminhado à Justiça, juntamente com todo o material produzido no decorrer das investigações.