Brasil

Em festa 'Se nada der certo', alunos se fantasiam de ambulante, faxineiro e vendedor

Tema gerou polêmica nas redes sociais. Escola afirma que não houve intenção de discriminar profissões

Redação do Correio 24 Horas

Alunos de uma escola do Rio Grande do Sul se fantasiaram com trajes de profissões que, segundo eles, são "alternativas", durante uma festa batizada de "Se nada der certo". A ideia é que essas profissões seriam a última opção caso nada desse certo. A  festa acabou rendendo várias críticas nas redes sociais e acabou levando a escola, a Instituição Evangélica de Novo Hamburgo (IENH) a se manifestar sobre o acontecido. 

Entre as 'fantasias' escolhidas pelos alunos estavam profissões como atendente de supermercado, ambulante, mecânico, faxineiro. Até morador de rua fez parte. 


Em nota, a IENH diz que “em momento algum teve a intenção de discriminar determinadas profissões, até porque muitas delas fazem parte do próprio quadro administrativo e são essenciais para o bom funcionamento da Instituição”. Em outro trecho do texto, a escola afirma que a atividade fazia parte do Dia D, voltado para a integração e “descontração” entre os alunos, sendo abordado um cenário de “não-aprovação no vestibular”.

A escola afirma ainda que esse tipo de atividade auxilia "(tanto) na sensibilização dos alunos quanto a conscientização da importância de pensar alternativas no caso de não sucesso no vestibular e também a lidar melhor com essa fase. Dessa forma, a IENH pede desculpas pelo mal entendido com a concepção e realização da atividade que não teve o objetivo de discriminação enfatizado nas redes sociais”.

A festa foi duramente criticada na web. "Deveriam passar um mês sem ter quem lhes sirva nada e se virar sozinho pra ver se algo dá certo pra eles", sugeriu um internauta. "Que nojo essa história de intervalo temático do INH com "de nada der certo". Podia ser "se meu papai não bancar mais", né?", criticou outra.