Brasil

Em resposta a apoiadores, Bolsonaro diz que é 'imbrochável'; entenda

Bolsonaro disse ainda que, ao contrário do que lhe haviam dito antes de assumir a Presidência, "todo dia é dia de alegria"

Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro surpreendeu os populares que o saudaram na porta do Palácio da Alvorada nesta sexta-feira ao usar uma expressão inesperada para responder aos apelos para que não desista de seu esforço à frente da Presidência da República.

Ao sair do carro para falar com seus apoiadores, o presidente iniciou um discurso com o reconhecimento de limitações.

— Reconheço as minhas limitações, as minhas fragilidades, a minha incompetência em alguns momentos — afirmou.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Mas, após falar por alguns minutos e ouvir gritos de apoio das pessoas presentes, Bolsonaro disse:

— Eu sou imbroxável.

Bolsonaro disse ainda que, ao contrário do que lhe haviam dito antes de assumir a Presidência, "todo dia é dia de alegria".

— Tristeza é você ter que dar satisfação a quem não presta, é você governar com incompetente e bandido do seu lado, daí realmente é tristeza. Quando a gente tem a liberdade de escolher os ministérios, governar com gente boa ao seu lado e contar com o carinho, com a simpatia de um povo maravilhoso, que é o povo brasileiro, todo dia é dia de alegria.

Bolsonaro voltou a defender a indicação de Augusto Aras, feita na véspera, para o cargo de procurador-geral da República. Segundo o presidente, o procurador-geral da República não deve apenas focar em corrupção, mas também lidar com outras questões.

— A gente não pode focar apenas em corrupção, essa função é muita coisa. É questão ambiental, direitos humanos, minoria, direitos humanos de cidadão de bem… tem a ver indiretamente também com economia muita coisa — afirmou o presidente.

Bolsonaro também afirmou que o cargo de procurador-geral da República é quase tão importante quanto o de presidente.



— Ontem escolhi o novo procurador-geral da República, uma escolha super difícil, mas é uma pessoa que tem um grau de importância muito parecido com o próprio presidente, com um poder de fazer, de um lado para o outro, fazer muita coisa para nosso Brasil — disse.