Brasil

Erika Januza denuncia ataques racistas que sofreu na internet

'Mais do que tristeza me sinto indignada', disse em entrevista

Luiz Ernesto Magalhães, da Agência O Globo
- Atualizada em

Em meio às comemorações do Dia da Consciência Negra, a atriz Erika Januza revelou nesta terça-feira que desde setembro vem sendo vítima de ataques racistas em mensagens enviadas por e-mail e para o seu Instagram. As mensagens com conteúdos ofensivos fazem referências ao fato de Erika ser negra, sobre seus cabelos e e também em relação a participação dela no quadro Dança dos Famosos, no Domingão do Faustão. A atriz registrou ocorrência sobre o caso na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, no último dia 8. A polícia ainda tenta identificar o autor.


— Mais do que tristeza, eu me sinto indignada com isso. Resolvi falar no dia de hoje porque considero que a sociedade precisa refletir sobre o racismo. O racismo existe e precisa ser combatido. Não é possível que as pessoas ainda sejam ofendidas pela cor da pele. No meu caso, o responsável pela ofensa ainda se escondeu no anonimato com um pseudônimo. No Instagram, ele usou a foto de uma terceira pessoa que nada tinha com o caso para me ofender. Cheguei a reproduzir a postagem mas apaguei porque a pessoa a quem realmente a foto pertencia estava sendo prejudicada —contou Erica.

A atriz contou que uma das primeiras mensagens que recebeu foi um e-mail bastante extenso. Seguiram-se outros, com nomes e endereços de remetentes diferentes. — Minha reação inicial foi pensar em apagar o primeiro e-mail. Era extremamente ofensivo. Fiquei muito mal. Ainda não não é possível saber se as ofensas partiram de um único autor ou de várias pessoas. Espero que a polícia descubra — acrescentou Erika.

Essa não é a primeira vez que a atriz veio a público comentar episódios em que foi constrangida pela cor da pele. Em uma entrevista em novembro de 2017, quando estava no ar na novela “O Outro Lado do Paraíso”, onde interpretava a juíza Raquel, ela contou que chegou a ser confundida na entrada de um prédio onde morava um ex-namorado como a empregada dele. — Toquei a a campainha e estava esperando abrirem a porta para mim, quando chegou o jornaleiro e disse: 'Já que você está aí, entrega para o seu patrão'. Olhei para ele e disse: 'Não é meu patrão, é meu namorado, mas pode deixar que eu entrego'”.

O que mais chamou a atenção da atriz é que o entregador também era negro. Em dezembro do mesmo ano, Erika contou em rede social sobre um episódio que viveu ao ser abordada por uma vendedora de cosméticos que questionou se ela havia visto o preço do produto e se iria parcelar a compra. — Naquele episódio da loja, foi algo bem sutil. Nem registrei ocorrência. Contei o caso como uma forma de reflexão — disse.