Brasil

Escola Municipal Vereadora Marielle Franco é inaugurada no Rio

Unidade, em homenagem à política assassinada em março deste ano, terá capacidade para atender 720 alunos

Agência O Globo
- Atualizada em

O bárbaro assassinato a tiros de Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, em março deste ano, no Estácio, na região central do Rio, segue sem respostas. Mas pais e crianças do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, comunidade onde a vereadora nasceu e foi criada, podem aproveitar uma justa homenagem. O prefeito Marcelo Crivella, e a secretária municipal de Educação, Talma Romero Suane, inauguraram na manhã desta quarta-feira, ao lado do pai e da esposa da vereadora, a Escola Municipal Vereadora Marielle Franco.

De acordo com a prefeitura, a unidade terá capacidade para atender 720 alunos do 1º ao 6º ano em horário integral. A conclusão das obras faz parte de um plano de recuperação da toda a rede, feito pelo município. O projeto prevê a entrega de mais dez novas escolas municipais e a reforma de 220.

“As instalações são primorosas, uma estrutura completa, salas com ar condicionado e rede de wi-fi para as crianças se conectarem com o mundo”, disse Crivella na visita.

Foto: Divulgação/Edvaldo Reis/Prefeitura do Rio de Janeiro
O prefeito frisou a importância da homenagem à vereadora Marielle Franco:

“Eu também fico muito feliz de colocar nesta escola o nome de uma ativista política como a Marielle, que enfrentou todas as dificuldades e tombou no combate. Enquanto tivermos líderes políticos com a coragem de Marielle, o Brasil não vai morrer. O país terá perspectiva”.

A Escola Municipal Vereadora Marielle Franco é a 45ª unidade da Rede Municipal de Ensino no Complexo da Maré. De acordo com o município, a nova estrutura foi construída com modernos padrões de acessibilidade, climatização e acústica para garantir conforto aos alunos, professores e demais servidores. O prédio conta com 24 salas de aula, além de áreas multiuso e espaço para informática, biblioteca e quadra de esporte coberta.

“Isto é o que queremos: escolas, escolas e escolas. Para nossas crianças terem outras perspectivas, um futuro melhor. Para amanhã estarem na mídia como notícia de assuntos que não seja a violência”, disse Antônio Francisco, pai de Marielle, de 67 anos, também nascido e criado na Maré.