Brasil

Especialistas americanos virão ao Brasil para investigar queda de avião de Campos

As causas técnicas da falha do gravador ainda não foram esclarecidas pela Força Aérea Brasileira (FAB)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Uma equipe de especialistas do National Transportation Safety Board (NTSB), principal autoridade norte-americana de investigação de acidentes, e da Cessna Aircraft Company, o fabricante do avião em que Eduardo Campos estava, está a caminho do Brasil para participar da investigação da queda do jato. A informações foi confirmada na noite desta sexta-feira (15), no Jornal da Globo.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão investigador da Força Aérea Brasileira (FAB), comunicou que o gravador de voz do avião acidentado não registrou o áudio da cabine do voo que transportava Eduardo Campos. Por conta disso, as causas técnicas da falha do gravador ainda não foram esclarecidas pela FAB.

O conteúdo que ficou gravado se refere a uma conversa durante abastecimento no solo, com os motores desligados, em local e data não identificados.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que regulamenta a aviação civil, disse que esse tipo de avião não pode decolar se o gravador de voz não estiver funcionando. O equipamento, apesar de não ser um item de segurança, deve ser checado pelo comandante antes do início do taxiamento da aeronave.

A Anac reiterou que o avião PR-AFA, modelo Cessna Aircraft 560XL, estava com a Inspeção Anual de Manutenção e o Certificado de Aeronavegabilidade válidos e que a última verificação anual completa das manutenções foi executada em fevereiro deste ano.