Brasil

Ex-namorada suspeita de atear fogo em motoboy é presa

Segundo a família de Daniel, a agressora teria incendiado a vítima por não aceitar o fim do relacionamento de três anos do casal

Agência O Globo

Kátia Cristina de Almeida da Silva, de 20 anos, suspeita de atear fogo no ex-namorado, o motoboy Daniel Jean Rocha Claudino, foi presa na segunda-feira no Centro do Rio de Janeiro. Ela estava foragida desde o dia 15 de janeiro. A informação foi confirmada pelo tio do rapaz, Márcio Mesquita Martins. Dainel, de 20 anos teve quase 60% do corpo queimados e continua internado no Hospital Municipal Souza Aguiar.

O tio comemorou a prisão de Kátia e pediu por Justiça.

— Recebi hoje a notícia de que ela foi presa. Eu e toda a família estávamos torcendo por isso e estamos felizes. Agora pedimos que a Justiça seja feita. Espero que ela pague pelo que fez — disse Márcio.

Foto: reprodução
Segundo a família de Daniel, a agressora teria incendiado a vítima por não aceitar o fim do relacionamento de três anos do casal. A tentativa de homicídio ocorreu no Cachambi, bairro da Zona Norte do Rio. Parentes contam que o motoboy estava consertando o cabo do acelerador de sua motocicleta, na manhã do dia 15 de janeiro, quando a jovem se aproximou com uma garrafa de gasolina e um fósforo. Ele ainda teria tentado segurá-la, mas acabou tendo o corpo incendiado.

Segundo Márcio, o processo de recuperação do sobrinho é lento, mas o rapaz já apresentou grande melhora desde a internação.



— Ele teve quase 60% do corpo queimados, então o processo até que esteja totalmente curado ainda é longo. Não temos previsão de alta mas ele está se recuperando bem, já apresentou muita melhora — contou o tio.

Kátia foi presa por policiais da 4º DP (Praça da República) e transferida para a Cadeia Pública de Benfica. O caso é investigado pela 23ª DP, no Méier. A Polícia oferecia recompensa de R$ 1 mil por informações que levassem ao paradeiro da jovem.