Brasil

Ex-UFC e família estão com coronavírus, incluindo um bebê de cinco meses

"A preocupação maior é a falta de informação, a ansiedade. Agora está todo mundo mais tranquilo", relatou o atleta em entrevista ao Combate.com

Redação iBahia (redacaoportalibahia.com.br)

O ex-lutador Erick Silva, de 35 anos, e a família, incluindo a esposa de 23 anos, o filho Carlos de cinco meses de idade e o filho mais velho, Kalleu, de 10 anos, estão contaminados com o novo coronavírus. Além deles, a cunhada e os sogros do ex-atleta também estão com covid-19, mas respondem bem ao tratamento.

"A preocupação maior é a falta de informação, a ansiedade. Agora está todo mundo mais tranquilo. Até pedimos para as pessoas que trabalham na casa não virem, ficamos duas semanas entre a gente para isso passar. Seguimos as recomendações dos médicos", contou Erick em entrevista ao Combate.com.

"O primeiro a dar o alerta foi o Carlos. Teve estado febril de 37,7 graus, mas acabamos dando remédio para ele, Tylenol Baby, falamos com o pediatra dele, e o Carlos parou na hora. Quem foi assintomático foi o Kalleu, meu filho de 10 anos. Não teve nenhum sintoma, está pulando, tranquilo, nem preocupação ele teve. Depois do estado febril do Carlos, a única coisa que apresentou foi uma diarreia, mas ficou mais tranquilo. Ficamos na agonia de querer saber, até então preferimos ficar um pouco mais quietos, isolados, para a gente entender o que estava acontecendo e não criar tanto alarde", detalhou o ex-UFC ao Combate.com

Ainda na entrevista, em seguida, quem apresentou os primeiros sintomas da Covid-19.  "No primeiro dia que ela sentiu, teve bastante dor de cabeça, calafrio, e a gente não se ligou. No começo ninguém se liga. Achamos que era alguma alergia, ela não sentia cheiro e gosto de nada. Depois foi minha sogra, ela também parou de sentir gosto, depois fui eu. Depois foi todo mundo tendo os mesmos sintomas, minha cunhada, meu sogro, os mesmos sintomas para todos".


Dentre os sintomas já conhecidos, a família apresentou ausência de paladar e olfato, dores de cabeça e no corpo e cansaço. Como ninguém sentiu febre alta ou extrema falta de ar, a orientação foi manter o isolamento social. Se alguém tivesse piora no quadro, seria necessário procurar um serviço de saúde, mas isso não ocorreu e todos estão se recuperando bem.