Brasil

Fãs que compraram passagem da Avianca temem perder DVD de Luan Santana em Salvador

Companhia está em recuperação judicial e teve voo atrasado em Brasília por pedido de confisco de aeronave

Leticia Lopes, da Agência O Globo

Fãs do cantor Luan Santana estão preocupados com a possibilidade de não conseguir chegar ao show de gravação do novo DVD do cantor em Salvador, em maio. O motivo é a compra de passagens aéreas da Avianca Brasil, que está em recuperação judicial desde dezembro do ano passado.

Na noite desta quinta-feira, um voo da companhia área que seguia de Brasília para Congonhas, em São Paulo, atrasou porque o avião foi impedido de decolar por ter sido penhorado pela Justiça. O voo, previsto para 19h de quinta-feira, acabou decolando na madrugada desta sexta-feira.

Desde sexta-feira, a Justiça já recebeu cinco pedidos de confisco de aviões feitos por credores da Avianca e, até agora, o episódio em Brasília foi um fato isolado. A dentista Larissa Novaes, de 22 anos, comprou há cerca de um mês passagens de ida e volta de São Paulo para a capital baiana para acompanhar a gravação do DVD "Luan Cyber", que será em 19 de maio. Os bilhetes custaram R$ 774. Com os acontecimentos de quinta-feira, ela planeja entrar em contato com a companhia e pedir reembolso.

—  Já vi outros fãs que compraram passagens com a Avianca dizendo que entraram em contato com eles e conseguiram o reembolso, então estou pensando em fazer isso porque, quanto mais o tempo passa, as passagens ficam mais caras — disse.

Procon-SP não orienta que se evite Avianca

A estudante Vitória Novaes, de 19 anos, também planeja embarcar da capital paulista para Salvador para acompanhar a apresentação do cantor. Através de uma agência de viagens online, Vitória comprou um pacote que inclui as passagens e hospedagem para ela e a namorada no valor de R$ 1.400. Por conta dos problemas envolvendo a Avianca, ela planeja entrar em contato com a agência ainda nesta sexta.

— Até onde acompanhei, a empresa reembolsa ou altera a companhia. Vou ligar para eles hoje e resolver isso. Tem muita gente preocupada porque, como os ingressos do show saíram entre fevereiro e março, todo mundo começou a reservar passagem e hotel com medo de os preços aumentarem. Como a gente comprou com muita antecedência, agora a gente tem que correr atrás para não ficar no prejuízo — avalia.

Já Carolina de Melo, de 22 anos, moradora de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, conseguiu o reembolso pelo bilhete comprado antecipadamente para acompanhar a gravação do DVD do músico. — Já estava com hotel e ingresso pagos. Se eu ficasse sem a passagem, perderia tudo. Então decidi pedir o reembolso. O estorno da quantia foi feito em uma semana — conta ela.

Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP, diz que vai notificar a Avianca para que informe quais  os ativos está oferecendo em garantia  para evitar o arresto dos aviões e quais as rotas com maior risco de cancelamento de voos.

—  Até agora, não temos por que dizer para o consumidor não comprar passagens da companhia, não há alerta da Anac sobre o nenhum risco de segurança e a realocação de passageiros tem sido feita corretamente. Mas queremos maior transparência para que possamos informar o passageiro, por exemplo, quais voos com maior risco de cancelamento e ele possa tomar a sua decisão —  diz Capez.

Igor Britto, especialista em aviação civil do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec)  ressalta que a informação é a arma mais eficaz para que a empresa saia da rota da falência, o que considera o pior cenário para o consumidor brasileiro:

—   Será muito ruim para o brasileiro caso a empresa venha a fechar as suas portas, pois isso levaria ainda maior concentração de mercado. Desde ontem (quinta-feira), com certeza, os consumidores ficaram mais cautelosos em comprar passagens da Avianca. Por isso, é fundamental que Judiciário, empresa e Anac informem com mais clareza os consumidores.

No fim de março, a aérea informou que vai cancelar suas operações no Galeão, no Rio, a partir deste mês . A empresa também vai fechar suas bases em Belém e Petrolina e cancelar mais voos em outras cidades.

Nesta sexta-feira, a Avianca Brasil volta à mesa de negociação com credores para discutir o plano de recuperação judicial da empresa . Será a segunda tentativa de votar o plano - a primeira, na semana passada,  foi suspensa por falta de quórum.