Brasil

Feliciano chora ao falar de acusação de assédio sexual e tentativa de estupro

Em vídeo, deputado afirma que perdoa a jovem e que ela fez uma "falsa comunicação"

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O deputado Marco Feliciano (PSC-SP) respondeu, através de vídeo divulgado em seu perfil no YouTube, neste sábado (6), a acusação de assédio sexual, agressão grave e tentativa de estupro. Na gravação o político afirma que a militante do PSC Patrícia Lélis fez uma "falsa comunicação" de crime contra ele.As denúncias da estudante de Brasília, de 22 anos, vieram à tona na terça-feira (2), após serem publicadas pela coluna Esplanada, do UOL. De acordo com relatos da moça, a agressão teria ocorrido no apartamento funcional do parlamentar em Brasília, na manhã do dia 15 de junho.

Foto: Reprodução/ Facebook

"Embora eu esteja machucado, com minha família toda sofrendo, eu não vou julgar essa moça. Eu perdoo ela. Embora eu espere que ela seja responsabilizada pela falsa comunicação do crime [de assédio sexual], eu perdoo ela", afirmou Feliciano no vídeo que, ao lado da esposa, Edileusa Feliciano, chora ao falar do apoio que recebeu da filha mais velha.Segundo a moça, ela foi agredida e por pouco não foi forçada à fazer sexo com o deputado. Na conversa, ela diz que Feliciano chegou a propor que ela se tornasse sua amante, com um alto salário e cargo comissionado no PSC.  Para comprovar o fato, ela mostrou prints de conversas que supostamente seriam do deputado. Confira o vídeo publicado por Feliciano: