Brasil

Ford fechará fábricas e encerrará atividades no Brasil

Empresa tem operações no Polo Petroquímico de Camaçari

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A Ford anunciou nesta segunda-feira (11) que vai fechar as fábricas e encerrar a produção de veículos no Brasil durante o ano de 2021. Com isso, as fábricas de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE) terão as atividades encerradas. As informações são do G1.

Das três fábricas, apenas a de Horizonte terá fechamento no último trimestre de 2021, enquanto as outras duas serão encerradas imediatamente. Apenas o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o Campo de Provas e a sede regional, ambos em São Paulo, serão mantidos.

“A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse o presidente e CEO da Ford, Jim Farley, segundo o G1. “Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global", completou.

O Governo da Bahia se manifestou através de nota sobre a decisão da Ford. Confira na íntegra:

Nota oficial

Governo da Bahia já busca alternativas para substituir a Ford

O Governo do Estado lamenta o encerramento da produção nas plantas da Ford em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e da Troller, em Horizonte (CE). O governo destaca os impactos socioeconômicos consequentes do fechamento da empresa, importante geradora de empregos e renda no estado.

Assim que foi informado, o governador Rui Costa entrou em contato com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) para discutir a formação de grupo de trabalho para avaliar possibilidades alternativas ao fechamento. O governo estadual também entrou em contato com a Embaixada Chinesa para sondar possíveis investidores com interesse em assumir o negócio na Bahia.

A decisão da Ford foi informada ao governador Rui Costa durante reunião virtual com representantes da empresa nesta segunda-feira (11).  Em nota distribuída à imprensa, a Ford afirma que “a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas", são motivadores da decisão.